SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.79 issue3The diagnostic value of short-term video-EEG monitoring in childhoodSamonella septicemia associated with interleukin 12 receptor b1 (IL-12Rbeta1) deficiency author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

CHERMONT, Aurimery G.; GUINSBURG, Ruth; BALDA, Rita C.X.  and  KOPELMAN, Benjamin I.. O que os pediatras conhecem sobre avaliação e tratamento da dor no recém-nascido?. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2003, vol.79, n.3, pp. 265-272. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572003000300014.

OBJETIVO: analisar os conhecimentos dos pediatras que atuam com pacientes neonatais em relação à avaliação e o tratamento da dor do recém-nascido. MÉTODOS: estudo transversal com 104 pediatras (de um total de 110) que trabalhavam em 1999 a 2001, nas sete unidades de terapia intensiva e nos 14 berçários da cidade de Belém, e responderam a um questionário escrito com perguntas a respeito do seu perfil demográfico e do conhecimento de métodos de avaliação e de tratamento da dor no recém-nascido. RESULTADOS: cem por cento dos médicos referiram acreditar que o recém-nascido sente dor, mas apenas um terço deles conhecia alguma escala para avaliar a dor nessa faixa etária. A maioria dos entrevistados referia perceber a presença de dor no recém-nascido por meio de parâmetros comportamentais. O choro foi o preferido para avaliar a dor do bebê a termo; a mímica facial para o prematuro, e a freqüência cardíaca para o neonato em ventilação mecânica. Menos de 10% dos entrevistados diziam usar analgesia para punções venosas e capilares; 30 a 40% referiam empregar analgesia para punções lombares, dissecações venosas, drenagens de tórax e ventilação mecânica. Menos da metade dos entrevistados referiu aplicar medidas para o alívio da dor no pós-operatório de cirurgia abdominal em neonatos. O opióide foi o medicamento mais citado para a analgesia (60%), seguido pelo midazolam (30%). CONCLUSÃO: os pediatras demonstraram pouco conhecimento a respeito dos métodos de avaliação e tratamento da dor no período neonatal. Há necessidade de reciclagens e de atualização no tema para os profissionais de saúde que atuam com recém-nascidos doentes.

Keywords : dor; medicação da dor; recém-nascido.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese