SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 issue3Sensitization to inhalant and food allergens in Brazilian atopic children by in vitro total and specific IgE assay: Allergy Project - PROALPhadiatop® in the diagnosis of respiratory allergy in children: Allergy Project - PROAL author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

AZEVEDO, Vitor M. P. et al. O impacto da desnutrição na cardiomiopatia dilatada idiopática na infância. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2004, vol.80, n.3, pp. 211-216. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572004000400009.

OBJETIVO: Determinar a importância da desnutrição como marcadora e preditora do óbito na cardiomiopatia dilatada idiopática na infância. MÉTODOS: Este é um estudo retrospectivo envolvendo 165 pacientes (setembro de 1979 a março de 2003). As variáveis analisadas foram sexo, idade e história de infecção viral nos últimos 3 meses, classe funcional da New York Heart Association (NYHA), percentil e desvio padrão do peso (índice z) e avaliação do estado nutricional. Foram realizadas 744 pesagens nos primeiros 72 meses e 93 no primeiro mês de evolução. Análise estatística: qui-quadrado, teste t de Student e análise de variância. Foram utilizados o valor alfa de 0,05 e o valor beta de 0,80. RESULTADOS: A idade no diagnóstico foi de 2,1±3,2 anos, com maior incidência nos menores de 2 anos (75,8%; IC95 = 68,5-82,1%) (p < 0,0001). A classe funcional III e IV foi observada em 81,2% (IC95 = 74,4-86,9%) (p < 0,0001), tendo todos os 40 óbitos ocorrido neste grupo (p = 0,0008). Na apresentação, a miocardite ocorreu em 39,4% (IC95 = 31,9-47,3%) (p = 0,0001). Houve forte associação entre miocardite e doença viral prévia (p = 0,0005) (RC = 3,15; IC95 = 1,55-6,44). A desnutrição na apresentação não influenciou o óbito (p = 0,10), porém a desnutrição evolutiva foi marcadora de óbito (p = 0,02) (RC = 3,21; IC95 = 1,04-9,95). Não houve diferença significativa no percentil de peso (p = 0,15) ou no índice z (p = 0,14) na apresentação. A média do percentil de peso e do índice z foram superiores nos sobreviventes (34,9+32,6 versus 8,6+16,0 e -0,62+1,43 versus -2,02+1,12) (p < 0,0001). A análise de variância demonstrou diferença significativa na evolução para o percentil de peso (p = 0,0417) e para o índice z (p = 0,0005) desde o primeiro mês de evolução. CONCLUSÃO: A avaliação do estado nutricional é de fácil execução, não implica ônus adicional e deve tornar-se rotina no seguimento do paciente com insuficiência cardíaca crônica.

Keywords : Cardiomiopatia dilatada; criança; desnutrição; insuficiência cardíaca.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese