SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.81 issue4Nutritional status and intestinal iron absorption in children with chronic hepatic disease with and without cholestasisBone mineral density, milk intake and physical activity in boys who suffered forearm fractures author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

CUERVO, Maria Rita M.; AERTS, Denise R. G. de C.  and  HALPERN, Ricardo. Vigilância do estado nutricional das crianças de um distrito de saúde no Sul do Brasil. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2005, vol.81, n.4, pp. 325-331. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572005000500011.

OBJETIVO: Investigar o estado nutricional de crianças encaminhadas para o Programa de Vigilância do Estado Nutricional (Prá-Crescer) pelos serviços básicos de saúde e a evolução das crianças em situação de risco em um Distrito de Saúde de Porto Alegre (RS). MÉTODOS: Foi estudada uma coorte retrospectiva com 674 crianças, de 6 a 59 meses, avaliadas pela rede básica e encaminhadas ao Prá-Crescer. Para a avaliação do estado nutricional, foram utilizados os índices altura/idade, peso/altura e peso/idade, os pontos de corte percentil 3 e 10 e a população de referência a do NCHS. Estudou-se a evolução do estado nutricional de 391 crianças em risco nutricional durante 12 meses. A associação entre as variáveis de interesse foi investigada com o teste do qui-quadrado. RESULTADOS: Encontravam-se com déficit nutricional 58% das crianças avaliadas. Dessas, 38,1% eram desnutridas (< P3) e 61,9% estavam em risco nutricional (entre P3 e P10). O déficit mais freqüente foi de altura/idade, e a faixa etária mais acometida foi entre 12 e 24 meses. Das crianças em risco nutricional, 50,1% foram acompanhadas, 33,5% não iniciaram o acompanhamento e 16,4% abandonaram-no. Entre as acompanhadas, 41,3% recuperaram o estado nutricional; 10,2% apresentaram melhora sem, no entanto, recuperarem os déficits antropométricos; 39,8% mantiveram-se inalteradas e 8,7% agravaram seus déficits. O tempo médio de recuperação foi de 7,5 meses. CONCLUSÕES: O estudo aponta para a importância do acompanhamento das crianças em risco nutricional, indicando pontos a serem implementados no programa de vigilância com vistas a diminuir as perdas no ingresso e aumentar o acompanhamento.

Keywords : Vigilância nutricional; avaliação nutricional; estado nutricional; desnutrição; antropometria.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese