SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.81 issue6Cumulative prevalence of risk factors for atherosclerotic cardiovascular diseases in Iranian adolescents: IHHP-HHPCGrowth impairment of children with different types of lip and palate clefts in the first 2 years of life: a cross-sectional study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

AFIUNE, Jorge Yussef; SINGER, Julio M.  and  LEONE, Cléa Rodrigues. Evolução ecocardiográfica de recém-nascidos com persistência do canal arterial. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2005, vol.81, n.6, pp. 454-460. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572005000800008.

OBJETIVO: Analisar características ecocardiográficas e manifestações clínicas na evolução de recém-nascidos pré-termo com persistência do canal arterial e identificar indicadores mais confiáveis do fechamento espontâneo deste. MÉTODOS: Sessenta e um recém-nascidos pré-termo com idade gestacional de 30±2 semanas (26-34 semanas) peso de 1,2±0,2 kg (0,7-1,7 kg) foram avaliados semanalmente desde o terceiro dia de vida até o termo através de ecocardiograma. O diâmetro do canal arterial e medidas das cavidades cardíacas foram determinados. Avaliação clínica procurou detectar sinais clínicos de persistência do canal arterial. Recém-nascidos pré-termo com persistência do canal arterial foram divididos em dois grupos: Grupo A, onde houve fechamento espontâneo do canal arterial, e Grupo B, onde não houve. Análise estatística foi realizada através do teste t e curva ROC. RESULTADOS: Vinte e um (34,4%) recém-nascidos pré-termo apresentaram persistência do canal arterial no terceiro dia de vida, sendo sete do grupo A e 14 do grupo B. Sinais clínicos de persistência do canal arterial ocorreram em 14,3% do grupo A e 71,4% do grupo B (p = 0,013). Persistência do canal arterial aumentou significativamente os diâmetros do átrio e ventrículo esquerdo e débito cardíaco aórtico. Diâmetro médio do canal arterial foi maior no grupo B (2,6±0,6 mm versus 1,4±0,6 mm; p = 0,003). Área abaixo da curva ROC em relação ao diâmetro do canal foi de 0,93 (p = 0,003), sendo 1,7 mm o ponto de corte de maior sensibilidade (100%) para identificar os recém-nascidos onde o canal arterial não apresentará fechamento espontâneo e 2,2 mm o ponto de maior especificidade (100%). CONCLUSÕES: Em recém-nascidos pré-termo, uma persistência do canal arterial maior que 2,2 mm de diâmetro no terceiro dia de vida prediz ausência de fechamento espontâneo e sugere necessidade de tratamento, especialmente quando da presença de algum sinal clínico associado.

Keywords : Recém-nascido pré-termo; ecocardiograma; persistência do canal arterial.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese