SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.82 issue2Brazilian knowledge production in the field of child and adolescent health author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

On-line version ISSN 1678-4782

Abstract

LUBIANCA NETO, José Faibes; HEMB, Lucas  and  SILVA, Daniela Brunelli e. Fatores de risco para otite média aguda recorrente: onde podemos intervir? - uma revisão sistemática da literatura. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2006, vol.82, n.2, pp. 87-96. ISSN 1678-4782.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572006000200003.

OBJETIVO: Revisar evidências sobre fatores de risco modificáveis para otite média aguda recorrente. FONTE DOS DADOS: MEDLINE sem restrição de linguagem de janeiro de 1966 até julho de 2005, utilizando descritores "acute otitis media/risk factors". Obtiveram-se 257 artigos. Desses, incluíram-se ensaios clínicos randomizados, coortes, estudos de caso-controle e transversais que tiveram análise dos fatores de risco modificáveis para desenvolvimento de otite média aguda recorrente como objetivo principal e com amostras de indivíduos de até 18 anos. Excluíram-se, exceto quando relevantes, revisões não-sistemáticas, relatos de casos e série de casos, além de diretrizes de sociedades médicas. SÍNTESE DOS DADOS: Identificaram-se nove fatores de risco ligados ao hospedeiro e oito ligados ao ambiente. Do primeiro grupo, classificaram-se como modificáveis alergia, anormalidades craniofaciais, refluxo gastroesofágico e presença de adenóides. Na segunda categoria, incluíram-se infecção de vias aéreas superiores, cuidados em creches, presença de irmãos/tamanho da família, fumo passivo, aleitamento materno e uso de chupetas. Posteriormente, classificaram-se os fatores de risco de acordo com níveis de evidência. CONCLUSÕES: Os fatores de risco estabelecidos para otite média aguda recorrente e passíveis de intervenção foram uso de chupetas e cuidados em creche. Os fatores de risco prováveis foram privação do leite materno, presença de irmãos, anormalidades craniofaciais, fumo passivo e presença de adenóides. Nenhum fator modificável foi classificado como pouco provável. Entre os que precisam ser melhor estudados estão alergia, refluxo gastroesofágico e fumo passivo na gestação.

Keywords : Otite média aguda; fatores de risco; revisão.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in Englishpdf in English | Portuguese Portuguese