SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.82 issue5Prevalence of symptoms of asthma, rhinitis, and atopic eczema among Brazilian children and adolescents identified by the International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC): phase 3Etiology of exanthema in children in a dengue endemic area author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

BOUSSO, Albert et al. Avaliação da relação entre espaço morto e volume corrente como índice preditivo de falha de extubação. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2006, vol.82, n.5, pp. 347-353. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572006000600007.

OBJETIVO: O objetivo do estudo foi avaliar a relação entre espaço morto e volume corrente (VD/VT) como preditivo de falha na extubação de crianças sob ventilação mecânica. MÉTODOS: Entre setembro de 2001 e janeiro de 2003, realizamos uma coorte, na qual foram incluídas todas as crianças (1 dia-15 anos) submetidas a ventilação mecânica na unidade de terapia intensiva pediátrica em que foi possível realizar a extubação e a ventilometria pré-extubação com a medida do índice VD/VT. Considerou-se falha na extubação a necessidade de reinstituição de algum tipo de assistência ventilatória, invasiva ou não, em um período de 48 horas. Para a análise dos pacientes que foram reintubados, definiu-se como sucesso-R a não reintubação. Para as análises estatísticas, utilizou-se um corte do VD/VT de 0,65. RESULTADOS: No período estudado, 250 crianças receberam ventilação mecânica na unidade de terapia intensiva pediátrica. Destas, 86 compuseram a amostra estudada. Vinte e uma crianças (24,4%) preencheram o critério de falha de extubação, com 11 (12,8%) utilizando suporte não-invasivo e 10 (11,6%) reintubadas. A idade média foi de 16,8 (±30,1) meses, e a mediana, de 5,5 meses. A média do índice VD/VT de todos os casos foi de 0,62 (±0,18). As médias do índice VD/VT para os pacientes que tiveram a extubação bem sucedida e para os que falharam foram, respectivamente, 0,62 (±0,17) e 0,65 (±0,21) (p = 0,472). Na regressão logística, o índice VD/VT não apresentou correlação estatisticamente significativa com o sucesso ou não da extubação (p = 0,8458), nem para aqueles que foram reintubados (p = 0,5576). CONCLUSÕES: Em uma população pediátrica submetida a ventilação mecânica, por etiologias variadas, o índice VD/VT não possibilitou predizer qual a população de risco para falha de extubação ou reintubação.

Keywords : Insuficiência respiratória; pneumopatias; espaço morto respiratório; medidas de volume pulmonar; respiração artificial; criança.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese