SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.82 issue5Evaluation of peak inspiratory pressure and respiratory rate during ventilation of an infant lung model with a self-inflating bagUse of technology as an evaluation tool of clinical care in preterm newborns author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

SILVA, Maria Alayde M. da et al. Prevalência e variáveis associadas ao hábito de fumar em crianças e adolescentes. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2006, vol.82, n.5, pp. 365-370. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572006000600010.

OBJETIVO: Identificar a prevalência do hábito de fumar e a ocorrência de variáveis associadas ao hábito em crianças e adolescentes de 7 a 17 anos, de ambos os sexos e provenientes da cidade de Maceió. MÉTODOS: Estudo epidemiológico transversal, baseado na população de alunos da rede de ensino público e privada, níveis fundamental e médio. Cálculo da amostra baseado na menor prevalência esperada de inúmeras variáveis, incluindo tabagismo. Amostragem por conglomerados. Questionário sobre o hábito de fumar; entrevista individual com cada estudante. Considerado fumante atual aquele que admitiu ter fumado em 1 ou mais dias nos últimos 30 dias. Variáveis analisadas: relacionadas ao estudante (idade, sexo, experimentação prévia de cigarros e trabalho remunerado), à sua condição na escola (pública/privada, turno, nível e repetência) e à família (classificação econômica, pais fumantes e pais separados). RESULTADOS: Foram avaliados 1.253 estudantes (547 do sexo masculino, média de idade 12,4±2,9 anos). Identificou-se uma prevalência de tabagismo de 2,4%. A análise estatística multivariada demonstrou associação significante do hábito de fumar com: maior idade (odds ratio de 1,31); experimentação prévia de cigarros (odds ratio de 33,96); estudar no período noturno (odds ratio de 5,43). Observou-se que 286 estudantes (22,8%) admitiram haver experimentado cigarros (9% de 7 a 9 anos; 21% de 10 a 14 anos; 36% de 15 a 17 anos). CONCLUSÕES: A prevalência de tabagismo em crianças e adolescentes da rede de ensino da cidade de Maceió é de 2,4%, sendo mais freqüente em estudantes de 15 a 17 anos, do curso noturno. Estudantes que experimentaram cigarros apresentam 34 vezes mais chances de se tornarem fumantes.

Keywords : Tabagismo; crianças e adolescentes; prevalência.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese