SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.83 issue4Procalcitonin in children with sepsis and septic shockRisk factors associated with arterial hypertension in adolescents author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

SCAVACINI, Ana Sílvia; MIYOSHI, Milton Harumi; KOPELMAN, Benjamin Israel  and  PERES, Clóvis de Araújo. Expansibilidade torácica na avaliação do volume corrente em recém-nascidos prematuros ventilados. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2007, vol.83, n.4, pp. 329-334. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.2223/JPED.1677.

OBJETIVOS: Avaliar se a observação clínica da expansibilidade torácica prediz o volume corrente em neonatos sob ventilação mecânica e se a experiência do examinador interfere no resultado. MÉTODOS: Estudo observacional que incluiu médicos de baixa experiência (1º ano de residência em pediatria), moderada experiência (2º ano de residência em pediatria, 1º ano de especialização em neonatologia ou em terapia intensiva pediátrica) e experientes (2º ano de especialização em neonatologia, pós-graduandos ou assistentes com experiência mínima de 4 anos em neonatologia). Estes observaram a expansibilidade torácica de recém-nascidos em ventilação mecânica e responderam qual o volume corrente fornecido aos bebês. O volume corrente ofertado foi calculado, indexado ao peso atual do paciente e considerado adequado se entre 4-6 mL/kg, insuficiente se abaixo de 4 mL/kg e excessivo se acima de 6 mL/kg. Para análise dos resultados, foi utilizado o qui-quadrado. RESULTADOS: Foram realizadas 111 avaliações em 21 recém-nascidos, e as respostas fornecidas concordaram com o volume mensurado em 23,1, 41,3 e 65,7% para os médicos de baixa, moderada experiência e experientes, respectivamente. Esses resultados evidenciam que os três grupos não são estatisticamente iguais (p = 0,013) e que o grupo de médicos experientes apresenta maior concordância que os de baixa e moderada experiência (p = 0,007). CONCLUSÃO: A análise clínica da expansibilidade torácica realizada por médicos de baixa e moderada experiência apresenta pouca concordância com o volume corrente ofertado aos recém-nascidos em ventilação mecânica. Embora a experiência dos médicos tenha resultado em maior concordância, a expansibilidade torácica deve ser interpretada com cautela.

Keywords : Recém-nascido prematuro; ventilação mecânica; volume corrente; expansibilidade torácica; lesão pulmonar; volutrauma; displasia broncopulmonar.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese