SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.84 issue1Evaluation of motor performance of preterm newborns during the first months of life using the Alberta Infant Motor Scale (AIMS)Risk factors associated with calcinosis of juvenile dermatomyositis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

AUDI, Celene Aparecida Ferrari; CORREA, Ana M. Segall; LATORRE, Maria do Rosário Dias de Oliveira  and  SANTIAGO, Silvia M.. Associação entre violência doméstica na gestação e peso ao nascer ou prematuridade. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2008, vol.84, n.1, pp. 60-67. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572008000100011.

OBJETIVO: Avaliar se a violência doméstica na gestação está associada a desfechos desfavoráveis na saúde do lactente, medidos pelo baixo peso ao nascer ou prematuridade. MÉTODO: Estudo de coorte prospectiva, realizado com gestantes que fizeram pré-natal em 10 Unidades Básicas de Saúde do município de Campinas (SP), durante os anos de 2004 a 2006. Foi utilizado questionário estruturado e validado no Brasil. As gestantes tiveram, no mínimo, duas e, no máximo, três entrevistas realizadas durante pré e pós-natal. Foi utilizada análise descritiva dos dados. O teste t de Student foi utilizado para comparar as médias do peso ao nascer e da idade gestacional entre os grupos de gestantes que sofreram, durante a atual gestação, violência doméstica e aqueles que não sofreram. A análise de regressão logística foi utilizada para verificar os fatores associados ao baixo peso ou prematuridade. RESULTADOS: Foram acompanhadas durante o período de pré-natal e pós-natal (n = 1.229) 89,1% das gestantes; 10,9% representam as perdas de acompanhamento, basicamente por mudança de endereço. O peso médio ao nascer foi de 3.233 g; idade gestacional foi em média 38,56 semanas. Apresentaram baixo peso ao nascer ou prematuridade 13,8% dos recém-nascidos. Condições de risco para baixo peso ao nascer ou prematuridade foram: gestante ter tido recém-nascido prematuro em outra gestação (p < 0,005), ser tabagista (p < 0,001), ter tido parto por cesárea (p < 0,001), ser baixa a escolaridade do parceiro (p < 0,008). CONCLUSÃO: Neste estudo, não foi observada associação estatisticamente significativa entre violência doméstica perpetrada pelo parceiro e baixo peso ao nascer ou prematuridade.

Keywords : Estudos de coorte; recém-nascido de baixo peso; recém-nascido prematuro; violência doméstica e gravidez.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese