SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.84 issue4Growth in non-anemic infants supplemented with different prophylactic iron dosesSedation of hypercyanotic spells in a neonate with tetralogy of Fallot using dexmedetomidine author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

ANDRADE, Cláudia R. de; CAMARGOS, Paulo Augusto M.; IBIAPINA, Cássio da C.  and  LASMAR, Laura Maria de L. B. F.. Cortisol basal em asmáticos em uso de duas diferentes doses de propionato de fluticasona. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2008, vol.84, n.4, pp. 373-376. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572008000400014.

OBJETIVOS: Avaliar os valores de cortisol basal em asmáticos persistentes em uso de propionato de fluticasona inalatório na dose de 200 ou 300 mcg/dia. MÉTODOS: O diagnóstico e a classificação da gravidade da asma basearam-se nas recomendações do Global Initiative for Asthma. Pacientes menores de 11 anos receberam fluticasona na dose de 200 mcg/dia, e aqueles com mais de 11 anos receberam 300 mcg/dia. Após 10 semanas de tratamento, a dosagem do cortisol foi realizada para avaliação da função adrenal. RESULTADOS: Foram avaliados 41 pacientes (65,9% do sexo masculino) entre 6 e 18 anos. Não houve diferença significativa entre as médias de cortisol basal nos pacientes que receberam 200 mcg/dia de propionato de fluticasona (n = 13) e naqueles que receberam 300 mcg/dia (n = 28). CONCLUSÕES: Os achados mostram que doses baixas a moderadas de propionato de fluticasona não causam supressão adrenal.

Keywords : Asma; cortisol; corticosteróides.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese