SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.85 issue3Anthropometric evaluation, risk factors for malnutrition, and nutritional therapy for children in teaching hospitals in BrazilNumber of involved anatomic areas as a risk predictor in pediatric Hodgkin's lymphoma: a retrospective study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

COSTA, Patrícia Quirino da; REY, Luis C.  and  COELHO, Helena Lutéscia L.. Carência de preparações medicamentosas para uso em crianças no Brasil. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2009, vol.85, n.3, pp. 229-235. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572009000300008.

OBJETIVO: Identificar medicamentos que apresentam dificuldades para seu uso pediátrico no Brasil. MÉTODOS: Estudo descritivo envolvendo a composição de uma listagem nacional de medicamentos não-licenciados ou não-padronizados para uso em crianças (medicamentos problema em pediatria, MPP), através de revisão bibliográfica, comparação com fontes do mercado farmacêutico brasileiro e inquérito com pediatras. Os medicamentos foram codificados pela classificação anatômica, terapêutica e química (Anatomic Therapeutic Chemical Classification System, ATC) e analisados quanto ao licenciamento no país e indicação/ recomendação em pediatria, tendo como referências básicas o bulário da ANVISA (2005), Dicionário de Especialidades Farmacêuticas (2005/06/07) e o site de bulas. RESULTADOS: Foram identificados na literatura 126 MPP e excluídos 24 não referidos nas fontes nacionais investigadas. A listagem foi complementada com 24 outros medicamentos referidos pelos pediatras. Do total de 126 MPP, 23 não tinham registro no país para o uso em crianças e 24 dos 103 licenciados apresentavam restrições de faixa etária. A lista envolveu 42 grupos terapêuticos e 68 subgrupos. Os grupos com maior número de MPP foram os antibacterianos de uso sistêmico (15), antiepilépticos (8), antiasmáticos (7) e analgésicos (7). Os problemas mais frequentes foram: dosagem inapropriada (43), forma farmacêutica inadequada (35), não-licenciamento para uso pediátrico (28), restrições de faixa etária (23). CONCLUSÕES: A carência de medicamentos desenvolvidos para uso em crianças envolve ampla gama de produtos clinicamente importantes. Algumas dessas formulações e dosagens já comercializadas em outros países não são disponibilizadas no mercado brasileiro sem nenhuma justificativa plausível.

Keywords : Uso de medicamentos; pediatria; farmacoepidemiologia; formulações pediátricas; erros de medicação; preparações farmacêuticas; formas de dosagem.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese