SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.85 issue4Prevalence of physical inactivity and associated factors among high school students from state's public schoolsEvaluating the effect of nutritional education on the prevalence of overweight/obesity and on foods eaten at primary schools author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

MELLO, Ricardo M. P. de et al. Lactobacilos e bifidobactérias nas fezes de crianças escolares de dois estratos socioeconômicos: moradores em uma favela e alunos de uma escola particular. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2009, vol.85, n.4, pp. 307-314. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572009000400007.

OBJETIVO: Determinar o número de colônias de lactobacilos e bifidobactérias nas fezes de crianças escolares, pertencentes a dois estratos socioeconômicos. MÉTODOS: Foram analisadas amostras de fezes de crianças com idade entre 6 e 10 anos sem sintomas gastrointestinais ou uso recente de antimicrobianos. O primeiro grupo foi constituído por 86 crianças, moradoras em uma favela localizada no município de Osasco (SP). O segundo grupo foi constituído por 36 crianças matriculadas em uma escola particular da mesma cidade. O estado nutricional foi avaliado usando o índice de massa corporal (IMC) de acordo com os valores de referência do National Center for Health Statistics (NCHS). O isolamento das colônias foi realizado em meios de cultura específicos em anaerobiose, durante 48 e 72 horas a 37 °C. A determinação do número foi feita pelo método da contagem em placa. RESULTADOS: A mediana de lactobacilos (1,125 x 109 unidades formadoras de colônia, UFC/g) e bifidobactérias (1,675 x 109 UFC/g) na escola particular foi superior (p < 0,001) ao do grupo da favela: 0,250 x 109 e 0,350 x 109 UFC/g, respectivamente. No grupo da favela, crianças com escore z de IMC < -1,0 desvio padrão (n = 28) apresentaram menor mediana (p < 0,05) de lactobacilos (0,100 x 109 UFC/g) e bifidobactérias (0,095 x 109 UFC/g) em relação às crianças com IMC > -1,0 desvio padrão (n = 57): 0,350 x 109 e 0,420 x 109 UFC/g, respectivamente. CONCLUSÃO: A microbiota de crianças escolares que moram em condições ambientais desfavoráveis apresenta menor número de colônias de lactobacilos e bifidobactérias nas fezes, especialmente naquelas com menores valores do IMC.

Keywords : Lactobacillus; bifidobacterium; fatores socioeconômicos; estado nutricional; exposição ambiental; enteropatias.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese