SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.85 issue6Inadequate dietary intake of children and adolescents with juvenile idiopathic arthritis and systemic lupus erythematosusQuality of life of asthmatic adolescents: assessment of asthma severity, comorbidity, and life style author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

VELASQUEZ, Patrícia A. G. et al. Alta prevalência de crianças portadoras de Streptococcus pneumoniae resistentes à penicilina em creches públicas. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2009, vol.85, n.6, pp. 516-522. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572009000600008.

OBJETIVOS: Investigar a prevalência de Streptococcus pneumoniae (pneumococos) na nasofaringe de crianças sadias atendidas em creches municipais da cidade de Umuarama (PR). Avaliar a susceptibilidade aos antimicrobianos dos pneumococos isolados. MÉTODOS: Secreção da nasofaringe de 212 crianças foi coletada no período de abril a outubro de 2008. Após semeadura dos espécimes em ágar sangue e incubação a 37 °C por 24-48 horas, as colônias suspeitas de pertencerem a S. pneumoniae foram identificadas pela α-hemólise, sensibilidade à optoquina e bile solubilidade. A susceptibilidade à penicilina foi investigada pelos testes de disco-difusão e de diluição. A susceptibilidade aos demais antimicrobianos indicados no tratamento das infecções pneumocócicas foi realizada por disco-difusão RESULTADOS: A prevalência de pneumococos na nasofaringe foi de 43,4% (92/212), sendo maior em crianças com idade entre 2 e 5 anos (p = 0,0005). Não houve diferença significativa entre os sexos. Resistência intermediária e resistência plena à penicilina foram encontradas respectivamente em 34,8 (32/92) e 22,8% (21/92) dos isolados. Sessenta e sete amostras (72,8%) foram resistentes ao sulfametoxazol-trimetoprim, oito (8,7%) à eritromicina e seis (6,5%) à tetraciclina. Uma amostra apresentou resistência à clindamicina (1,1%), e outra ao cloranfenicol (1,1%). Todas as amostras foram sensíveis a levofloxacina, ofloxacina, rifampicina, telitromicina, linezolide e vancomicina. Nove amostras foram consideradas multirresistentes, por apresentarem resistência a três ou mais classes de antimicrobianos. CONCLUSÕES: O presente estudo registrou uma alta prevalência de crianças portadoras sadias de amostras de S. pneumoniae resistentes à penicilina que podem constituir importantes reservatórios desse patógeno na comunidade.

Keywords : Streptococcus pneumoniae; nasofaringe; portadores sadios; resistência a penicilina.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese