SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.87 issue2Epidemiological profile and strategies for diagnosing SIDS in a developing countryImpact of HAART on growth and hospitalization rates among HIV-infected children author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

CONSTANT, Carolina et al. Rastreio de patologia respiratória em crianças em idade escolar com o uso de espirometria portátil. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2011, vol.87, n.2, pp. 123-130. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572011000200007.

OBJETIVOS: Avaliar a prevalência de doença respiratória em crianças em idade escolar e determinar o valor da espirometria de campo. MÉTODOS: Avaliaram-se 313 alunos do primeiro e quarto ano de quatro escolas de Lisboa. Aplicou-se questionário respiratório auto-preenchido, e efetuou-se espirometria. Realizou-se análise descritiva e bivariada seguida de análise de regressão logística múltipla. RESULTADOS: Trinta e cinco por cento das crianças tiveram pelo menos um episódio de sibilância (18% > 2 episódios), e 4% tiveram diagnóstico de asma. Sibilância foi mais frequente com história familiar de atopia (OR ajustado = 2,7, IC95% 1,4-5,1), tabagismo na gravidez, infecção respiratória baixa (IRB) (OR ajustado = 2,8; IC95% 1,2-6,2), bronquiolite (OR ajustado = 3,3; IC95% 1,3-8,2) e alergia a aeroalérgenos (OR ajustado = 3,2; IC95% 1,4-7,2). Asma foi mais frequente com história de IRB (OR ajustado = 14,6; IC95% 1,7-122,9) e alergia a aeroalérgenos (OR ajustado = 8,2; IC95% 2,0-34,2). Cento e sessenta e nove (54%) valores espirométricos preencheram critérios de aceitabilidade. O grupo com sibilância tinha em média valores de escore z inferiores para volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1), razão entre VEF1 e capacidade vital forçada (CVF) (VEF1/CVF) e fluxo expiratório forçado entre 25 e 75% (FEF25-75) (p < 0,05), além de maior percentagem de crianças com valores anormais para VEF1, VEF1/CVF e FEF25-75 (FEF25-75, p < 0,05). CONCLUSÕES: Este estudo piloto revelou frequência elevada de sintomatologia respiratória obstrutiva em escolares em Lisboa. Verificou-se boa correlação entre o questionário e os valores espirométricos. A baixa prevalência de asma leva-nos a especular que este diagnóstico esteja subestimado nesta população.

Keywords : Questionário; sibilância; asma; espirometria portátil.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese