SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.87 issue4Developmental outcomes and quality of life in children born preterm at preschool- and school-ageSystematic follow-up of hyperbilirubinemia in neonates with a gestational age of 35 to 37 weeks author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

VANDENPLAS, Yvan et al. Probióticos e prebióticos na prevenção e no tratamento de doenças em lactentes e crianças. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2011, vol.87, n.4, pp.292-300. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.2223/JPED.2103.

OBJETIVO: Avaliar o impacto do uso de probióticos e prebióticos na saúde das crianças. FONTES DOS DADOS: Foram pesquisados os bancos de dados MEDLINE e LILACS, selecionando-se artigos relevantes em inglês e francês. SÍNTESE DOS DADOS: O leite humano é rico em oligossacarídeos prebióticos e pode conter probióticos. Não existem dados sugerindo que a adição de probióticos a fórmulas para lactentes possa ser prejudicial, mas as evidências de sua eficácia são insuficientes para que seja recomendada. Visto que dados sugerem que a adição de oligossacarídeos prebióticos específicos pode reduzir infecções e atopia em lactentes saudáveis, sua adição parece razoável. Os benefícios a longo prazo dos pro e prebióticos para o sistema imunológico em desenvolvimento ainda precisam ser comprovados. Probióticos selecionados reduzem a duração da diarreia infecciosa em 1 dia, mas faltam evidências quanto à prevenção, exceto na diarreia associada a antibióticos. Alguns probióticos específicos previnem a enterocolite necrosante, e outros micro-organismos podem ser benéficos nos casos de gastrite por Helicobacter pylori e de cólica do lactente. Não há evidências suficientes para recomendar o uso de probióticos na prevenção e no tratamento da dermatite atópica. A utilização de probióticos nos casos de constipação, síndrome do intestino irritável, doença inflamatória intestinal e infecções extraintestinais requer mais estudos. CONCLUSÕES: A duração da administração, a dosagem microbiana e as espécies utilizadas necessitam de maior validação, tanto para probióticos quanto para prebióticos. Alegações de saúde injustificadas são uma grande ameaça ao conceito de pro e prebióticos.

Keywords : Flora gastrointestinal; microbiota intestinal; oligossacarídeo; prebióticos; probióticos.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf epdf ) | Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License