SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.87 número6Bubble CPAP versus CPAP with variable flow in newborns with respiratory distress: a randomized controlled trialC3 and C4 complement system components as biomarkers in the intermittent atopic asthma diagnosis índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Jornal de Pediatria

versión impresa ISSN 0021-7557

Resumen

MARBA, Sérgio T. M.; CALDAS, Jamil P. S.; VINAGRE, Luís E. F.  y  PESSOTO, Mônica A.. Incidência de hemorragia peri-intraventricular em recém-nascidos de muito baixo peso: análise de 15 anos. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2011, vol.87, n.6, pp. 505-511. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572011000600008.

OBJETIVO: Avaliar a incidência da hemorragia peri-intraventricular (HPIV) em recém-nascidos de muito baixo peso. MÉTODOS: Foi realizado estudo de coorte prospectiva de recém-nascidos de muito baixo peso ao longo de 15 anos. Excluíram-se aqueles sem avaliação por ultrassonografia cerebral, com má-formação do sistema nervoso central ou falecidos antes de 24 horas de vida. Os exames foram realizados através da fontanela anterior, utilizando-se ecógrafo Aloka® 620 e transdutor de 5 mHz, entre o primeiro e o terceiro dia de vida, e também no sétimo e no 28º dia de vida e/ou na alta hospitalar. A incidência foi analisada pelo teste de qui-quadrado de tendência ou pelo Cochran-Armitage test, e pelo modelo de regressão linear simples (curva de tendência logarítmica). Para avaliação dos possíveis fatores associados, analisaram-se dados obstétricos, perinatais e neonatais nos períodos de 1991/1994 e 2002/2005, com cálculo do teste de qui-quadrado / Fisher e do risco relativo. O nível de significância foi de 5%. RESULTADOS: Nasceram 1.777 crianças de muito baixo peso, e 1.381 (77,7%) foram avaliadas. Dessas, 289 (20,9%) apresentaram HPIV. A distribuição anual mostrou queda na incidência, de 50,9% em 1991 para 11,9% em 2005 (p < 0,0001). A HPIV apresentou queda em todas as faixas de peso e nos grupos com grau I/II e III/IV. Observaram-se diferenças relacionadas a uso de esteroide antenatal, sexo masculino, peso < 1.000 g, doenças de membranas hialinas, ventilação mecânica, uso de surfactante, canal arterial e sepse. CONCLUSÃO: Houve queda significativa na incidência da doença em recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer durante o período analisado.

Palabras llave : Hemorragia cerebral; recém-nascido prematuro; ultrassonografia.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · pdf en Inglés | Portugués