SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.88 issue1The impact of systematic dietary counseling during the first year of life on prevalence rates of anemia and iron deficiency at 12-16 monthsPractices of use of nasal intermittent positive pressure ventilation (NIPPV) in neonatology in northeastern Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

SACCANI, Raquel  and  VALENTINI, Nadia C.. Curvas de referência da Escala Motora Infantil de Alberta: percentis para descrição clínica e acompanhamento do desempenho motor ao longo do tempo. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2012, vol.88, n.1, pp. 40-47. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.2223/JPED.2142.

OBJETIVOS: Comparar os dados de infantes brasileiros com a normativa canadense e estabelecer as curvas de referência e percentis do desenvolvimento motor da Escala Motora Infantil de Alberta segundo sexo. MÉTODOS: Participaram da pesquisa, 795 crianças com idade entre 0 e 18 meses provenientes de diferentes cidades de uma região do Brasil. Os participantes foram avaliados com a Escala Motora Infantil de Alberta, em uma sala silenciosa, por um experiente pesquisador. Foi realizada análise dos percentis (P5, P10, P25, P50, P75, P90) por faixa etária da escala e sexo. RESULTADOS: Não foram encontradas diferenças significativas (p > 0,05) entre meninos e meninas na maioria das diferentes faixas etárias. Apenas aos 14 meses, foi encontrada superioridade das meninas no escore total de desempenho motor (p = 0,015) e no percentil de desenvolvimento (0,021). Verificou-se, para ambos os sexos e para crianças típicas e atípicas, uma tendência de desenvolvimento motor alinear nas curvas desenvolvimentistas. Observou-se variação reduzida das aquisições motoras nos limites etários, nos dois primeiros meses de vida e a partir dos 15 meses. CONCLUSÕES: A Escala Motora Infantil de Alberta, embora seja um instrumento amplamente utilizado em clínica e pesquisa, possui restrições considerando a diferenciação comportamental até os 2 meses e depois dos 15 meses. Essa reduzida sensibilidade da escala nas extremidades etárias pode estar relacionada com o número e dificuldade dos itens motores avaliados nessas idades. Sugere-se a utilização de outros instrumentos de triagem para crianças acima dos 15 meses de idade.

Keywords : Avaliação; destreza motora; desenvolvimento infantil.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese