SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue1Placental transfer and embryo-fetal effects of drugs used in anesthesia author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SARAIVA, Renato Ângelo. Mecanismo de ação dos anestésicos inalatórios. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2002, vol.52, n.1, pp. 114-123. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942002000100013.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Estudos clínicos e experimentais têm sido desenvolvidos para identificar os locais onde os anestésicos (inalatórios) atuam e para determinar quais as alterações funcionais que esses fármacos produzem nas estruturas do sistema nervoso central determinantes do estado de anestesia que é observado clinicamente. O objetivo deste trabalho é descrever os resultados obtidos por vários autores em estudos clínicos e experimentais realizados recentemente na tentativa de esclarecer os mecanismos de ação dos anestésicos inalatórios no sistema nervoso central. CONTEÚDO: Para facilitar a compreensão dos complexos mecanismos de ação dos anestésicos inalatórios no sistema nervoso central, eles foram divididos em três níveis: o macroscópico, o microscópico e o molecular. Recentemente um grupo de autores descreveram estes mecanismos de ação em: orgânicos, celulares, e inibidores da entropia. Estes mecanismos tentariam explicar o estado de anestesia que teria como característica a capacidade de prover ao paciente duas ações principais: 1) imobilidade, inibição da resposta a estímulos nociceptivos; e 2) amnésia. Outros efeitos (desejáveis) também são obtidos pela administração de anestésicos: analgesia e hipnose. Entretanto, tais efeitos seja isoladamente ou juntos, não definem o estado de anestesia. Embasados nestes conceitos, este grupo adota e divulga a classificação dos anestésicos em: 1) anestésicos completos, os que produzem imobilidade e amnésia; e 2) incompletos ou não imobilizantes, os que não produzem imobilidade mas produzem amnésia. CONCLUSÕES: De acordo com os resultados de vários estudos realizados recentemente, provavelmente a amnésia e a inconsciência ocorrem pela ação do anestésico predominantemente no cérebro, enquanto a imobilidade, ou seja, a inibição da resposta ao estímulo nociceptivo por movimento, seria pela ação do anestésico preferencialmente e inicialmente na medula espinhal. Estas ações ocorrem por inibição da transformação de energia (entropia) que forma os potenciais de ação nas células (fibras) nervosas, especialmente nas sinapses.

Keywords : ANESTÉSICOS, Inalatórios.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese