SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.53 issue2Postoperative analgesia following orthopedic surgery: a study comparing perivascular lumbar plexus inguinal block with ropivacaine (3 in 1) and spinal anesthesia with morphineSubdural anesthesia after epidural puncture: two case reports author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

NOCITI, José Roberto et al. Dexmedetomidina associada a propofol em sedação durante anestesia local para cirurgia plástica. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2003, vol.53, n.2, pp. 198-208. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942003000200007.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dexmedetomidina é um novo agonista a2-adrenérgico com propriedades potencialmente úteis em anestesia. Este estudo comparativo tem por finalidade observar os efeitos da dexmedetomidina sobre o consumo de propofol e a evolução dos parâmetros cardiovasculares e respiratórios, quando incluída em técnica de sedação durante anestesia local em cirurgia plástica. MÉTODO:  Participaram do estudo 40 pacientes do sexo feminino com idades entre 16 e 60 anos, estado físico ASA I ou II, submetidas a cirurgias plásticas eletivas sob anestesia local. Foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos de vinte: C (controle) e D (dexmedetomidina). Em ambos, a sedação foi obtida com propofol na dose em bolus inicial de 1 mg.kg-1 seguida de infusão contínua em velocidade ajustada para se obter grau de sedação consciente. No grupo D, as pacientes receberam infusão venosa contínua de dexmedetomidina à velocidade de 0,01 µg.kg-1.min-1, concomitante com a de propofol. Foram avaliados: efeito da dexmedetomidina sobre o consumo de propofol; variação dos parâmetros cardiovasculares (PAS, PAD, PAM, FC) e respiratórios (SpO2, PETCO2); qualidade do controle do sangramento per-operatório e características da recuperação pós-anestésica. RESULTADOS: A velocidade média de infusão de propofol foi menor no grupo D (35,2 ± 5,3 µg.kg-1.min-1) do que no grupo C (72,6 ± 8,5 µg.kg-1.min-1). Os valores médios de PAS, PAD e PAM decresceram em relação ao inicial, a partir dos 30 minutos, no grupo D, mantendo-se a seguir estáveis até o final; no grupo C, aumentaram. A FC manteve-se estável no grupo D e aumentou a partir dos 30 minutos no grupo C. O tempo médio para obedecer ao comando de "abrir os olhos" foi menor no grupo D (6,3 ± 2,5 min) em relação ao C (8,9 ± 2,7 min). O controle do sangramento per-operatório foi superior no grupo D em relação ao C. CONCLUSÕES: O emprego da dexmedetomidina associada ao propofol apresenta as seguintes vantagens: redução do consumo de propofol, estabilidade dos parâmetros cardiovasculares, controle adequado do sangramento per-operatório, ausência de efeito importante sobre a ventilação.

Keywords : ANESTESIA [Venosa]; ANESTESIA [sedação]; CIRURGIA [Plástica]; HIPNÓTICOS [dexmedetomidina]; HIPNÓTICOS [propofol].

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese