SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.53 issue4Effects of low spinal morphine doses associated to intravenous and oral ketoprofen in patients submitted to cesarean sectionsExtraconal block for cataract extraction surgery with implantation of intraocular lens: influence of access way (upper or lower) in anesthetic outcome author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

CASTELLANA, Fábio Bonini et al. Comparação entre ventilação controlada a volume e a pressão no tratamento da hipoxemia no período pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2003, vol.53, n.4, pp. 440-448. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942003000400003.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Ventilação controlada à pressão tem sido utilizada como modalidade ventilatória de eleição em pacientes que desenvolvem hipoxemia importante no período pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. Contudo não existem estudos mostrando que a ventilação controlada à pressão é mais efetiva na reversão da hipoxemia pós-operatória que ventilação controlada a volume. O objetivo deste estudo foi comparar os efeitos de ventilação controlada à pressão e ventilação controlada a volume sobre a oxigenação sistêmica em pacientes que desenvolvem hipoxemia caracterizada por uma relação PaO2/FiO2 menor que 200 no período pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca. MÉTODO: Sessenta e um pacientes com relação PaO2/FiO2 menor que 200 foram alocados em um grupo submetido à ventilação controlada a pressão e outro a volume. O volume corrente, a freqüência respiratória, a relação inspiração/ expiração e a pressão positiva ao final da expiração foram as mesmas no dois grupos. Após a admissão na UTI e após períodos de 1 ou 2 horas de ventilação mecânica, a relação PaO2/FiO2 e o shunt pulmonar foram quantificados. RESULTADOS: Houve um aumento significativo na relação PaO2/FiO2 e uma diminuição significativa no shunt pulmonar após 1 ou 2 horas de ventilação mecânica; contudo não foram observadas diferenças entre as modalidades ventilatórias. CONCLUSÕES: As modalidades ventilatórias controladas a volume e pressão foram igualmente eficientes no tratamento da hipoxemia observada em pacientes no pós-operatório imediato de cirurgia de revascularização do miocárdio, mostrando que o padrão de administração do fluxo inspiratório é pouco relevante para o tratamento da hipoxemia pós-operatória.

Keywords : CIRURGIA [Cardíaca]; CIRURGIA [revascularização do miocárdio]; COMPLICAÇÕES [hipóxia]; VENTILAÇÃO [controlada].

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese