SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue4Bilateral pleural block: analgesia and pulmonary functions in postoperative of median laparotomiesInfluence of human albumin on pulmonary function of patients submitted to heart surgery with cardiopulmonary bypass author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

ALMEIDA, Maria Cristina Simões de; CAMARGO, Dalto Rodrigues de; LINHARES, Saul Fernando  and  PEDERNEIRAS, Sérgio Galluf. Avaliação do bloqueio neuromuscular residual e da recurarização tardia na sala de recuperação pós-anestésica. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2004, vol.54, n.4, pp. 518-531. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942004000400008.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O bloqueio neuromuscular residual altera a patência das vias aéreas aumentando o risco de graves complicações no pós-operatório. Nos pacientes que recebem o anticolinesterásico, a transmissão neuromuscular é incrementada pelo acúmulo de acetilcolina na placa motora, mas que, findo o efeito da neostigmina, teoricamente é possível uma "recurarização", visto que o agente antagonista não desloca o bloqueador neuromuscular do seu local de ação. Foi objetivo deste trabalho quantificar o grau de paralisia residual em Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) e averiguar se os pacientes que receberam neostigmina apresentam fenômeno de "recurarização" tardia. MÉTODO: Foram estudados na SRPA 119 pacientes adultos que receberam bloqueadores neuromusculares para diferentes tipos de procedimentos. Ao chegarem na SRPA, a transmissão neuromuscular foi quantificada através de um monitor por método acelerográfico. Os eletrodos estimuladores foram instalados no trajeto do nervo ulnar no punho, e empregou-se a seqüência de 4 estímulos, com correntes de 30 mA, na periodicidade de 15 até 120 minutos. Nesta pesquisa considerou-se como resíduo de bloqueio neuromuscular uma relação T4/T1 abaixo de 0,9. No tempo de permanência da SRPA foram igualmente registrados os sintomas clínicos sugestivos de bloqueio neuromuscular residual e aferidos os sinais vitais. Para análise estatística foram empregadas medidas descritivas tais como média e freqüência absoluta. RESULTADOS: Os pacientes que receberam pancurônio apresentaram maior incidência de resíduo de bloqueio neuromuscular, principalmente os idosos. Nos pacientes que receberam neostigmina houve expressivo percentual de bloqueio neuromuscular residual. Em nenhum grupo observou-se o fenômeno de "recurarização" tardia. CONCLUSÕES: Constatou-se expressivo número de pacientes com resíduo de bloqueio neuromuscular, quando utilizado o pancurônio. A fase de recuperação, quando foi usada a neostigmina não se seguiu de "recurarização", sugerindo que esse fenômeno não tenha significado clínico quando o paciente não apresenta sinais de falência de órgãos ou comorbidades que alteram a transmissão neuromuscular.

Keywords : BLOQUEADORES NEUROMUSCULARES [Adespolarizante]; MONITORIZAÇÃO [aceleromiografia]; MONITORIZAÇÃO [função neuromuscular]; RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA [bloqueio neuromuscular residual].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese