SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 issue4Comparison of the hemodynamic effects in acute intoxication with racemic bupivacaine and with 50% enantiomeric excess mixture (S75-R25): an experimental study in dogsRhabdomyolysis secondary to gluteal compartment syndrome after bariatric surgery: case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SANTOS, Marcelo Cursino Pinto dos  and  VINAGRE, Ronaldo Contreras Oliveira. Dexmedetomidina para teste neurocognitivo em craniotomia com o paciente acordado: relato de caso. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2006, vol.56, n.4, pp. 402-407. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942006000400008.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As ressecções tumorais em áreas eloqüentes do cérebro são realizadas com mais segurança utilizando-se testes cognitivos para identificação exata desses locais. Os pacientes devem estar acordados, confortáveis e colaborativos para que se identifiquem com clareza as áreas que devem ser preservadas. O objetivo deste relato foi apresentar intervenção cirúrgica realizada com o paciente acordado, utilizando sevoflurano no período inicial, sem intubação traqueal e a dexmedetomidina, posteriormente, técnica que permitiu a realização dos testes de avaliação motora e da fala. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 27 anos, estado físico ASA I, com tumor cerebral. Na sala cirúrgica, sem medicação pré-anestésica, foi administrado midazolam (1 mg), induzida a anestesia geral com propofol (80 mg). A manutenção foi realizada com O2, N2O e sevoflurano sob máscara para punção da artéria radial direita, cateterismo vesical e infiltração da área cirúrgica. Essa fase durou cerca de 20 minutos, com início da infusão de dexmedetomidina nos últimos 10 minutos, para manter o nível de sedação Ramsay 2. Depois, foi realizado o mapeamento cortical (75 minutos). Seguiu-se a ressecção tumoral, com o paciente sedado recebendo doses maiores de dexmedetomidina. Observou-se estabilidades hemodinâmica e respiratória, tendo o procedimento transcorrido sem intercorrências, com duração total de cinco horas. Após o término da intervenção cirúrgica o paciente foi encaminhado ao CTI, sem alterações neurológicas, tendo alta para a enfermaria no dia seguinte. CONCLUSÕES: A craniotomia com o paciente acordado e o adequado mapeamento das áreas corticais de fala e motora foram realizados com sucesso, por meio da infusão contínua de dexmedetomidina. Houve plena satisfação do paciente e da equipe cirúrgica com a técnica.

Keywords : CIRURGIA, Neurocirurgia [craniotomia, testes cognitivos]; DROGAS [dexmedetomidina].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese