SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 issue5Effective volume of local anesthetics for fascia iliac compartment block: a double-blind, comparative study between 0.5% ropivacaine and 0.5% bupivacaineValidity of the hospital anxiety and depression scale in patients with chronic pain author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

CRUVINEL, Marcos Guilherme Cunha et al. Prevalência de paralisia diafragmática após bloqueio de plexo braquial pela via posterior com ropivacaína a 0,2%. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2006, vol.56, n.5, pp. 461-469. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942006000500004.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O bloqueio de plexo braquial pela via interescalênica descrita por Winnie é uma das técnicas mais eficazes para promover analgesia pós-operatória de intervenções cirúrgicas no ombro. Uma de suas conseqüências é a paralisia diafragmática. Esta paralisia pode levar, em pacientes com algum grau de disfunção pulmonar prévia, à insuficiência respiratória. A abordagem do plexo braquial por via posterior tem conquistado espaço. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de paralisia diafragmática, após o bloqueio de plexo braquial interescalênico pela via posterior com o uso de ropivacaína a 0,2%. MÉTODO: Vinte e dois pacientes submetidos ao bloqueio do plexo braquial interescalênico pela via posterior com ropivacaína a 0,2%, foram avaliados no pós-operatório com o objetivo de identificar sinais radiológicos de elevação da cúpula diafragmática sugestivos de paralisia hemidiafragmática. Em 20 pacientes utilizou-se 40 mL de ropivacaína a 0,2%, nestes foi realizada radiografia de tórax em inspiração. Em dois foram utilizados 20 mL de ropivacaína a 0,2%, com subseqüente avaliação fluoroscópica. RESULTADOS: Não houve complicações relacionadas à realização do bloqueio. Em todos os pacientes, o bloqueio foi efetivo e proporcionou boa analgesia pós-operatória. Foi observada elevação da cúpula diafragmática compatível com paralisia hemidiafragmática em todos os casos estudados. CONCLUSÕES: Nas condições deste estudo observou-se que o bloqueio do plexo braquial pela via posterior é uma técnica que está associada à alta prevalência de paralisia diafragmática, mesmo utilizando-se baixas concentrações de anestésico local.

Keywords : ANESTÉSICOS, Local [ropivacaína]; CIRURGIA, Ortopédica; COMPLICAÇÕES [paralisia diafragmática]; TÉCNICAS ANESTÉSICAS, Regional [plexo braquial].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese