SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 issue6Postoperative analgesia for orthopedic surgeries of the hip and femur: a comparison between psoas compartment and inguinal paravascular blocksLumbar plexopathy after abdominal hysterectomy: case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

TONELLA, Rodrigo Marques; ARAUJO, Sebastião  and  SILVA, Áurea Maria Oliveira da. Estimulação elétrica nervosa transcutânea no alívio da dor pós-operatória relacionada com procedimentos fisioterapêuticos em pacientes submetidos a intervenções cirúrgicas abdominais. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2006, vol.56, n.6, pp. 630-642. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942006000600007.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A eletroestimulação nervosa transcutânea (TENS) tem sido pouco estudada como método facilitador da fisioterapia pós-operatória. O objetivo do estudo foi verificar a eficácia da TENS no alívio da dor relacionada com fisioterapia pós-operatória em pacientes submetidos a intervenções cirúrgicas abdominais. MÉTODO: Foi realizado um estudo clínico, prospectivo, com distribuição aleatória, incluindo 48 pacientes no primeiro dia de pós-operatório, que apresentavam escore de dor > 3 pontos na escala visual analógica (VAS), divididos em três grupos: Grupo Controle: com rotina analgésica habitual, sem TENS e com fisioterapia; Grupo Estudo, recebendo rotina analgésica habitual mais TENS, e fisioterapia; Grupo Contraste-Placebo, recebendo rotina analgésica habitual, fisioterapia e TENS desligada. Foi apresentada aos pacientes uma escala visual analógica de dor antes (M1), depois da TENS (M2) e após fisioterapia (M3) - tosse, incentivador respiratório, mudança de decúbito lateral e sentado - quantificando a efetividade da analgesia. O tempo de eletroestimulação foi 30 minutos. RESULTADOS: Houve alívio significativo da dor no Grupo Estudo, comparando-se os três grupos, apenas para o procedimento tosse, no M3 (p = 0,015). Dentro desse grupo houve diminuição significativa da dor para tosse (p = 0,003) [M1 versus M3]; para decúbito lateral (p = 0,025), sentar-se (p = 0,001) e utilizar o incentivador inspiratório (p = 0,017) [M1 versus M2]; e ao se mudar para decúbito lateral (p = 0,03) e sentar-se (p = 0,001) [M1 ´ M3]. Não houve diferença significativa no Grupo Contraste-Placebo. CONCLUSÕES: Houve diminuição da dor no Grupo Estudo, em alguns momentos e parâmetros. Estudos adicionais são necessários, já que a utilização da TENS está indicada apenas como coadjuvante no controle da dor pós-operatória.

Keywords : ANALGESIA [estimulação elétrica nervosa tracutânea]; CIRURGIA, Abdominal; DOR, Aguda [pós-operatória].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese