SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 issue4Anesthesia in a patient with Marshall-Smith syndrome: case reportTemporary lingual nerve dysfunction following the use of the laryngeal mask airway: report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

HOBAIKA, Adriano Bechara de Souza; SEIBERLICH, Émerson  and  ISSA, Márcia Rodrigues Néder. Síndrome coronariana aguda em paciente com doença coronariana de alto risco no pós-operatório de colecistectomia videolaparoscópica. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2007, vol.57, n.4, pp. 406-409. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942007000400008.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A isquemia miocárdica perioperatória é um evento incomum e quase sempre está relacionada com taquicardia e/ou hipotensão arterial em pacientes com doença coronariana de alto risco. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 71 anos, diabético, hipertenso e com doença coronariana, submetido à colecistectomia videolaparoscópica. A anestesia foi induzida com propofol, cisatracúrio e remifentanil e mantida com sevoflurano e remifentanil. Durante o fechamento da parede o paciente apresentou hipertensão arterial, sem alterações ao ECG. A velocidade de infusão de remifentanil foi aumentada e, após cinco minutos, o paciente apresentou bloqueio atrioventricular total associado à redução da pressão arterial média (PAM). Após a administração de 1,0 mg de atropina e 0,1 mg de adrenalina, o paciente apresentou taquicardia temporária e a PAM se normalizou. Ele foi transferido consciente e extubado para UTI, onde, após 12 horas, apresentou dor precordial e ECG com infradesnivelamento ST de V4 a V6. O ecocardiograma revelou boa função sistólica, sem alterações segmentares e curva de CK-MB normal. O paciente foi tratado em protocolo de angina instável. CONCLUSÕES: O paciente apresentava risco aumentado para isquemia pós-operatória e foi submetido a um procedimento no qual as alterações hemodinâmicas são profundas. É sabido que instabilidades hemodinâmicas perioperatórias em pacientes com doença coronariana aumentam o risco de síndromes coronarianas no pós-operatório e estas podem ocorrer até 72 horas após o ato cirúrgico, apresentando-se, na maioria dos casos, de forma silenciosa. A administração pré-operatória de betabloqueadores e, mais recentemente, de estatinas têm se mostrado eficiente na redução de eventos isquêmicos perioperatórios nesses pacientes.

Keywords : ANESTÉSICOS, Venoso [propofol, remifentanil]; CIRURGIA, Abdominal [colecistectomia videolaparoscópica]; COMPLICAÇÕES, Cardíaca [disritmia, isquemia]; DOENÇAS [Cardíaca: coronariana].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese