SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 issue6Perioperative analgesia with continuous epidural infusion of morphine combined with clonidine in children undergoing abdominal surgeriesLactate as a predictor of mortality and multiple organ failure in patients with the systemic inflammatory response syndrome author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

On-line version ISSN 1806-907X

Abstract

CARMONA, Maria José Carvalho et al. Avaliação do gradiente pressórico aorto-radial em pacientes submetidos à intervenção cirúrgica com circulação extracorpórea. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2007, vol.57, n.6, pp. 618-629. ISSN 1806-907X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942007000600004.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Diversos estudos têm demonstrado diferença significativa entre a pressão aórtica e a pressão radial em pacientes submetidos à circulação extracorpórea (CEC). Os objetivos deste estudo foram avaliar o comportamento da diferença entre pressão arterial radial e a pressão aórtica durante revascularização do miocárdio (RM) com CEC e sua correlação com resistência vascular sistêmica. MÉTODO: Após aprovação pelo Comitê de Ética Hospitalar, 16 pacientes submetidos à RM com CEC hipotérmica foram estudados. Pressões sistólica, diastólica e média foram obtidas na raiz da aorta e na artéria radial, através de cateteres específicos. Débito cardíaco foi obtido com o uso de cateter de artéria pulmonar ou diretamente da máquina de CEC e resistência vascular sistêmica indexada (RVSi) foi calculada nos momentos pré-CEC, início da CEC, após a última RM, no fim da CEC e pós-CEC. A análise estatística foi realizada por meio de Análise de Variância para medidas repetidas e correlação de ordem de Spearman e o nível de significância foi fixado em 0,05. RESULTADOS: Após o início da CEC, a pressão arterial radial foi sistematicamente menor que a pressão aórtica em 3 a 5 mmHg. Foi observada correlação significativa entre o gradiente médio de pressão aorto-radial e a RVSi somente após a última RM, correspondendo ao aquecimento do paciente (Rho = 0,67, p = 0,009). CONCLUSÕES: A medida de pressão na arterial radial subestimou sistematicamente a pressão arterial na raiz da aorta após a CEC e a RVSi não forneceu estimativa acurada da magnitude do gradiente de pressão aorto-radial.

Keywords : CIRURGIA, Cardíaca [circulação extracorpórea, revascularização miocárdica]; MONITORAÇÃO [gradiente de pressão aorto-radial, resistência vascular sistêmica].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in Englishpdf in English | Portuguese Portuguese