SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 issue1Ultrasound-guided ileoinguinal and ileohypogastric nerve block associated with general anesthesia: case reportIntraoperative pulmonary barotrauma during ophthalmologic surgery: case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

CARLI, Daniel de; CORREA, Nivaldo Simões; SILVA, Tatiana Castelo Branco Vilar  and  MARADEI, Eduardo Malta. Intubação nasotraqueal às cegas em paciente acordada candidata à hemimandibulectomia: relato de caso. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2008, vol.58, n.1, pp. 55-62. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942008000100008.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A abordagem à via aérea pode utilizar diversos recursos. Manter o paciente acordado, cujo controle seguro da ventilação/oxigenação é incerto, constitui uma opção quando há dúvida quanto à intubação. A intubação nasotraqueal (INT) às cegas é uma alternativa à fibroscopia. RELATO DO CASO: Paciente do sexo feminino, 75 anos, 56 kg, candidata à hemimandibulectomia, com imobilidade cervical por artrodese, abertura bucal de 2,2 cm, retrognatismo moderado, sem protrusão voluntária da mandíbula, distância mento-esternal de 11 cm e mento-tireoidiana de 6 cm, recebendo 5 pontos na escala Wilson. A paciente previamente orientada consentiu com o procedimento. Após monitoração e oxigenação, foi iniciada infusão contínua de dexmedetomidina. Realizado bloqueio dos nervos laríngeo superior e inferior com lidocaína a 2,0% sem vasoconstritor e instilação de lidocaína spray em hipofaringe. Previamente à INT foram administrados ondansetron, midazolam, fentanil e droperidol, permanecendo a paciente acordada e cooperativa. A inserção via nasal de tubo traqueal foi orientada pela sua opacificação e ruídos respiratórios e confirmada por ausculta pulmonar e capnografia. Iniciada infusão contínua de propofol e remifentanil, administrados rocurônio e ventilação controlada. A operação de 60 minutos não teve intercorrências. Ao término, a paciente apresentava ventilação espontânea, sendo extubada e encaminhada à recuperação pós-anestésica, recebendo alta sem queixas. CONCLUSÕES: A INT é alternativa à fibroscopia quando a segurança do controle das vias aéreas é incerta. O prévio esclarecimento da paciente foi essencial. Houve segurança, sem depressão respiratória ou instabilidade hemodinâmica.

Keywords : ANESTESIA, geral; INTUBAÇÃO: nasotraqueal, às cegas.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese