SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 issue3A comparative study between one and two effective doses (ED95) of rocuronium for tracheal intubation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SIMONI, Ricardo Francisco; PEREIRA, Antônio Márcio Sanfim Arantes; BOREGA, Renato dos Santos  and  SIMOES, Daniel Caldeira Pereira. Remifentanil versus Sufentanil em infusão contínua em intervenções cirúrgicas videolaparoscópicas: estudo comparativo. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2008, vol.58, n.3, pp. 193-201. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942008000300001.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A infusão contínua (IC) de remifentanil na técnica de anestesia venosa total é prática comum. Já o sufentanil em IC para cirurgias de curta/média duração tem sido pouco utilizado. O objetivo desse estudo foi comparar duas técnicas de anestesia venosa total, utilizando remifentanil ou sufentanil em IC, quanto ao comportamento anestésico no intra-operatório e às características da recuperação anestésica em pacientes submetidos à videolaparoscopia. MÉTODO: Participaram desse estudo 60 pacientes divididos em 2 grupos iguais (GR e GS). O GR foi induzido com remifentanil IC e o GS com sufentanil em bolus associado à IC. A IC de remifentanil era desligada ao fim da cirurgia, enquanto a IC de sufentanil, 20 minutos antes. Os pacientes receberam no intra-operatório cetoprofeno e dipirona. Como analgésico de resgate na sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) foi utilizado tramadol. Foram analisados as variações da pressão arterial média (PAM) e freqüência cardíaca (FC), o tempo de despertar, o consumo de propofol, as intercorrências na SRPA e o tempo de permanência na SRPA. RESULTADOS: A média da PAM foi maior no GS em relação ao GR (91,9 × 77,6, p < 0,0001). A incidência de dor foi significativamente maior no GR em relação ao GS (22 × 1 paciente, p < 0,0001). A incidência de NVPO foi maior no GR em relação ao GS (10 × 2 pacientes, p = 0,0098). A média do tempo de permanência na SRPA foi maior no GR em relação ao GS (76 × 49 min, p < 0,0001). CONCLUSÕES: O controle hemodinâmico foi satisfatório nos grupos. A IC de sufentanil promoveu melhor controle da dor no pós-operatório com menor consumo de analgésico de resgate; conseqüentemente, houve menor incidência de NVPO e menor tempo de permanência na SRPA.

Keywords : ANESTÉSICOS, Venoso [remifentanil]; ANESTÉSICOS, Venoso [sufentanil]; CIRURGIA, abdominal, videolaparoscópica.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese