SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 issue4Comparison of the plasma levels of 50% enantiomeric excess (S75/R25) 0.5% bupivacaine combined with 1: 200,000 epinephrine between the parasacral and infragluteal sciatic nerve blocksPreoperative intravenous clonidine in the surgical treatment of cataract: evaluation of the clinical benefits author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SILVA NETO, Walter Viterbo da et al. Avaliação das variações hemodinâmicas durante a indução anestésica em pacientes hipertensos tratados. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2008, vol.58, n.4, pp. 330-341. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942008000400002.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Devido à alta prevalência da hipertensão arterial sistêmica, ao aumento da expectativa de vida e ao aprimoramento dos métodos diagnósticos e das técnicas cirúrgicas, essa comorbidade tornar-se-á comum em pacientes cirúrgicos. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento das variáveis hemodinâmicas dos pacientes hipertensos tratados durante a indução anestésica. MÉTODO: Estudo observacional sobre o comportamento das variáveis hemodinâmicas (pressão arterial sistólica, pressão arterial diastólica e freqüência cardíaca) durante a indução anestésica dos pacientes hipertensos e normotensos, escalados para operações eletivas submetidos à anestesia geral em quatro momentos consecutivos durante a indução anestésica: preparo (MP), fármaco (MF), laringoscopia/intubação (ML) e laringoscopia/intubação 5 min (ML5). RESULTADOS: A amostra foi composta por 128 pacientes distribuídos nos grupos de pacientes hipertensos (GH) e normotensos (GN). Houve diminuição da PAD no momento MF em ambos os grupos, com menor redução percentual no GH (18,3 ± 14,0% versus 23,0 ± 11,4%, p = 0,04). Houve aumento das PAS e PAD no momento ML em ambos os grupos, com menores elevações percentuais no GH (8,2 ± 16,3% versus 18,2 ± 21,2%, p < 0,01; 8,6 ± 20,2% versus 25,0 ± 27,9%, p < 0,01; respectivamente para PAS e PAD). Quanto à PAS e PAD, após ML5, e à FC não houve diferença entre os grupos. CONCLUSÕES: Os pacientes hipertensos tratados com níveis pressóricos controlados apresentaram maior estabilidade hemodinâmica durante a indução anestésica.

Keywords : ANESTESIA [indução]; DOENÇAS [hipertensão arterial]; SISTEMA CARDIOVASCULAR [alterações hemodinâmicas].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese