SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue4Assessment of the use of racemic ketamine and its S(+) isomer, associated or not with low doses of fentanyl, in balneotherapy for major burn patientsEfficacy of intraoperative methadone and clonidine in pain control in the immediate postoperative period after the use of remifentanil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

DUARTE, Leonardo Teixeira Domingues; FERNANDES, Maria do Carmo Barretto de Carvalho; COSTA, Verônica Vieira da  and  SARAIVA, Renato Ângelo. Incidência de depressão respiratória no pós-operatório em pacientes submetidos à analgesia venosa ou peridural com opioides. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2009, vol.59, n.4, pp. 409-420. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942009000400003.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A analgesia controlada pelo paciente (PCA), por via venosa ou peridural, é técnica segura e eficaz no tratamento da dor pós-operatória. Todavia, o uso de opioides não é isento de risco, e a depressão respiratória é a complicação mais temida. Os objetivos deste estudo foram descrever a incidência de depressão respiratória associada à analgesia pós-operatória com opioides administrados por via peridural ou venosa e as características dos pacientes que apresentaram a complicação. MÉTODO: Estudo de incidência, retrospectivo, em pacientes operados no Hospital SARAH Brasília entre dezembro de 1999 e dezembro de 2007 e tratados com PCA com opioides por via venosa ou peridural. Foram definidos como casos de depressão respiratória: frequência respiratória < 8 irpm, necessidade do uso de naloxona ou saturação periférica de oxigênio abaixo de 90%. RESULTADOS: Foram avaliados 2790 pacientes, dos quais 635 pacientes receberam PCA venosa e 2155, analgesia peridural. Ocorreram sete casos de depressão respiratória pós-operatória (incidência de 0,25%). Destes, seis pacientes foram tratados com PCA venosa com morfina, enquanto o último recebeu analgesia peridural com fentanil. A média de idade foi de 30,5 ± 24,7 anos; o tempo médio entre o término da anestesia até a ocorrência da depressão respiratória foi de 18,1 ± 26,3 horas. A ocorrência de depressão respiratória foi significativamente mais frequente na PCA venosa com morfina (p = 0,001) e idade menor que 16 anos (p < 0,05). CONCLUSÕES: A incidência de depressão respiratória encontrada foi semelhante à descrita na literatura, sendo mais frequente em crianças e adolescentes, e com PCA venosa.

Keywords : ANALGESIA [peridural]; ANALGESIA [pós-operatória controlada pelo paciente]; ANALGÉSICOS [Opioides]; COMPLICAÇÕES [insuficiência respiratória].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese