SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue6Clonidine as pre-anesthetic medication in cataract extration: comparison between 100 µg and 200 µgMain concerns of patients regarding the most common complications in the post-anesthetic care unit author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

COSTA, Verônica Vieira da et al. Influência do uso crônico dos inibidores da enzima conversora da angiotensina na hipotensão arterial após indução anestésica: é necessário suspender esse fármaco no pré-operatório?. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2009, vol.59, n.6, pp. 704-715. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942009000600006.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Tem sido sugerida a suspensão de medicamentos como os inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA) com base em relatos de hipotensão arterial durante a anestesia. Isso pode implicar em maior risco de picos hipertensivos no intraoperatório, com efeitos deletérios para o paciente. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência dos IECA utilizados no pré-operatório na ocorrência de hipotensão arterial durante anestesia. MÉTODO: Delineamento tipo caso controle, onde casos foram pacientes que apresentaram hipotensão arterial após indução da anestesia. Como controles foram selecionados pacientes da mesma faixa etária e sexo, submetidos à intervenção cirúrgica no mesmo período dos casos e que não apresentaram hipotensão arterial. As variáveis de interesse: idade, sexo, porte cirúrgico, diagnóstico prévio de hipertensão arterial sistêmica (HAS), uso de IECA, estado físico (ASA), sangramento no intraoperatório, técnica anestésica e tempo cirúrgico. RESULTADOS: 40 pacientes apresentaram hipotensão arterial, num total de 2.179 operações. Desses, 20 usaram IECA no dia da operação. O grupo controle foi composto por 171 pacientes, dos quais 11 usaram IECA. Na análise univariada foi encontrada associação entre hipotensão arterial e idade avançada (p < 0,001), diagnóstico prévio de hipertensão arterial (p < 0,001), uso de IECA (p = 0,006), estado físico do paciente (ASA) (p = 0,006) e porte cirúrgico (p = 0,028). Numa análise estratificada não houve associação de hipotensão arterial com o uso de IECA. Na regressão logística mantiveram associação com a hipotensão arterial, o porte cirúrgico e idade do paciente. CONCLUSÕES: Não foi encontrada associação do uso de IECA e hipotensão arterial durante a anestesia. Os autores consideraram que a orientação de suspender o IECA na véspera da intervenção cirúrgica precisa ser revista. Outros estudos devem ser considerados para confirmar esse resultado.

Keywords : DOENÇAS [hipertensão arterial]; DROGAS [inibidor enzima conversora angiotensina]; PRÉ-ANESTESIA [preparo].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese