SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 issue4Ventilatory strategies for hypoxemia during cardiac surgery: survey validation for anesthesiologists in BrazilUltrasound-guided femoral and sciatic nerve blocks in an anticoagulated patient: relato de casos author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SOUBHIE, Angel et al. Avaliação das modalidades ventilatórias no período transoperatório por meio de questionário. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2010, vol.60, n.4, pp. 418-421. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942010000400009.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os aparelhos de anestesia vêm possibilitando reduzir repercussões fisiológicas e problemas causados por ventilação mecânica. O objetivo deste estudo foi avaliar, retrospectivamente, os métodos e recursos de suporte ventilatório utilizados por um grupo de anestesiologistas em pacientes sem lesão pulmonar prévia no período intraoperatório. MÉTODO: Um questionário anônimo, com 27 questões objetivas, foi aplicado em um grupo composto por médicos anestesiologistas e em especialização que atuam em diferentes hospitais privados na cidade de São Paulo. Os questionários foram aplicados em um período de 15 dias. Observaram-se os padrões ventilatórios, a pressão positiva ao final da expiração (PEEP), o recrutamento alveolar e o cálculo do volume-corrente empregado com intubação traqueal. RESULTADOS: Os participantes foram predominantemente do sexo masculino, 40,5% com título superior em Anestesiologia (TSA), e a maioria concluiu a especialização há menos de 10 anos. A maior parte dos anestesiologistas faz uso de PEEP rotineiramente, entre 5 e 10 cmH2O. Fluxo de gases frescos acima de 1.000 mL.min-1 ainda é utilizado pela maior parte dos anestesiologistas. Manobras de recrutamento alveolar são realizadas por 80% dos entrevistados, logo após a intubação e antes da desintubação, sendo a estratégia mais comum a insuflação com 40 cmH2O por 15 segundos. Quanto às estratégias protetoras de ventilação, apenas 30% utilizam volume-corrente < 7 mL.kg-1, com frações inspiradas de oxigênio entre 40% e 60%. CONCLUSÕES: Este estudo descritivo permite afirmar que, nos hospitais avaliados, grande parte dos anestesiologistas utiliza recursos visando minimizar eventual repercussão da ventilação controlada mecânica. Esses dados podem orientar o desenvolvimento de programas de educação médica continuada em ventilação mecânica associada à anestesia, visando à segurança e à melhora do atendimento ao paciente.

Keywords : EQUIPAMENTOS [ventilador]; VENTILAÇÃO [controlada mecânica]; pressão positiva ao final da expiração.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese