SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 issue1Contamination of anesthesia circuits by pathogensSmart alerts: development of a software to optimize data monitoring author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

ISSA, Márcia Rodrigues Neder; ISONI, Núbia Faria Campos; SOARES, Alessandra Marinho  and  FERNANDES, Magda Lourenço. Avaliação pré-anestésica e redução dos custos do preparo pré-operatório. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2011, vol.61, n.1, pp. 65-71. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942011000100007.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A avaliação pré-anestésica (APA) é fundamental no preparo do paciente cirúrgico. Entre suas muitas vantagens, destaca-se a redução dos custos com o preparo pré-operatório. Embora estudos prévios tenham constatado esse benefício, não é certo que ele se aplique adequadamente em nosso meio. O objetivo deste estudo foi comparar os custos do preparo pré-operatório realizado pelo cirurgião com os custos estimados a partir da APA. Paralelamente, comparou-se a classificação do estado físico da American Society of Anesthesiologists (ASA) determinada pelo anestesiologista ou por outros especialistas. MÉTODO: Duzentos pacientes candidatos a procedimentos cirúrgicos ou diagnósticos eletivos, cujo preparo pré-operatório foi orientado pelo cirurgião, foram submetidos à APA após internação hospitalar. O anestesiologista determinou os exames complementares ou as consultas especializadas e necessárias a cada paciente. Foram comparados o número e os custos dos exames ou consultas indicados pelo anestesiologista com aqueles realizados no preparo pré-operatório. Comparou-se também a classificação da ASA determinada pelo anestesiologista ou pelo médico que realizou a consulta especializada. RESULTADOS: Dos 1.075 exames complementares realizados, 55,8% não estavam indicados, o que equivaleu a uma fração de 50,8% do custo total com exames. O anestesiologista considerou que 37 pacientes (18,5%) não precisariam realizar exames. O custo do preparo orientado pelo cirurgião foi 25,11% maior do que o custo estimado a partir da avaliação pré-anestésica, sendo essa diferença estatisticamente significante (p < 0,01). Houve discordância na classificação da ASA em 9,3% dos pacientes avaliados pelo especialista. CONCLUSÕES: O preparo pré-operatório baseado na avaliação pré-anestésica criteriosa pode resultar em significativa redução dos custos quando comparado ao preparo orientado pelo cirurgião. Observou-se boa concordância na determinação do escore da ASA.

Keywords : AVALIAÇÃO [Pré-anestésica]; EXAMES COMPLEMENTARES [Custo].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese