SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 issue6The influence of posture on spirometric values in grade III obese patientsThe efficacy of terlipressin versus adrenaline in swine cardiopulmonary resuscitation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

OLIVEIRA, Katia Ferreira de; CLIVATTI, Jefferson; MUNECHIKA, Masashi  and  FALCAO, Luiz Fernando dos Reis. O que o paciente sabe sobre o trabalho do anestesiologista?. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2011, vol.61, n.6, pp. 724-727. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942011000600004.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Estudos internacionais modernos retratam a falta de conhecimento dos pacientes em relação à formação e ao papel do anestesiologista. Não existem dados atuais sobre esse tema que revelem o panorama nacional. O objetivo deste trabalho é avaliar o nível de conhecimento dos pacientes sobre a formação e as áreas de atuação desses especialistas. MÉTODO: Estudo prospectivo em hospital universitário terciário de São Paulo. Pacientes no pré-operatório foram entrevistados por um período de 18 meses. Os dados foram analisados com o uso do teste exato de Fisher, teste do qui-quadrado e teste de Mann-Whitney, conforme o tipo de variável estudada. Foi considerado, para todo o estudo, risco α< 0,05 de se cometer erro tipo I. RESULTADOS: Foram incluídos 400 pacientes no estudo, sendo 203 (50,75%) homens e 197 (49,25%) mulheres entre 18 e 89 anos. Um total de 207 (51,75%) pacientes reconheceu o anestesiologista como médico. Duzentos e oitenta e nove (72,25%) entrevistados responderam que o anestesiologista cuida do paciente durante a cirurgia, enquanto 256 (64%) pacientes não sabiam que o anestesiologista determina se o paciente está apto a ser submetido à cirurgia. Houve correlação estatística entre o nível de escolaridade e a presença de experiência prévia de procedimentos anestésico-cirúrgicos com a resposta correta em relação à formação médica do anestesiologista. Não houve diferença significativa entre os grupos - submetido e não submetido - à avaliação pré-anestésica em relação ao conhecimento da formação médica do anestesiologista. CONCLUSÕES: Uma grande proporção dos pacientes tem conhecimento limitado sobre a formação e as atribuições do anestesiologista. A avaliação pré-anestésica não aumentou a proporção de respostas de que o anestesiologista tem formação médica.

Keywords : ANESTESIOLOGIA [Educação]; ANESTESIOLOGIA [Pesquisa]; ANESTESIOLOGISTA.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese | Spanish     · pdf in English | Spanish | Portuguese