SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 issue2Treatment of hemicrania continua: case series and literature reviewReceptiveness and humanization from the perspective of anesthesiologists author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

TENNANT, Ingrid et al. Complicações pós-operatórias menores relacionadas à anestesia em pacientes de cirurgias eletivas ginecológicas e ortopédicas em um hospital universitário de Kingston, Jamaica. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2012, vol.62, n.2, pp.193-198. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942012000200005.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As complicações anestésicas pós-operatórias menores podem aumentar o desconforto e a insatisfação do paciente e retardar sua recuperação. Este trabalho procurou determinar a frequência das complicações menores relatadas nas primeiras 48 horas do período pós-operatório por pacientes de cirurgias eletivas (ginecológicas e ortopédicas) no University Hospital of the West Indies, Jamaica. A satisfação geral com os cuidados anestésicos e os possíveis fatores de risco para desenvolver complicações também foram avaliados. MÉTODOS: Um estudo prospectivo e descritivo de coorte foi realizado por meio de entrevistas com pacientes operados 24 e 48 horas após a anestesia. Os dados foram analisados usando SPSS versão 12 e avaliados pelo teste do χ2-quadrado e modelos de regressão logística múltipla. RESULTADOS: Foram incluídos 505 pacientes, sendo 374 do sexo feminino (74%). A maioria era ASA I (55%) ou ASA II (38%) e foi submetida à anestesia geral (80%). Um total de 419 (83%) pacientes relataram pelo menos uma complicação pós-operatória. As complicações mais relatadas foram dor de garganta (44%), náusea (30%), vômito (24%) e tromboflebite (20%). A moda do Índice de Classificação Numérica Verbal (ICNV) para cada complicação variou entre 2 e 5, sugerindo que a maioria não causa desconforto grave. Idade inferior a 45 anos (OR 2,22, IC de 95% 1,34-3,69, p = 0,002) e sexo feminino (OR 3,64, IC de 95% 2,14-6,20, p < 0,001) foram identificados como variáveis independentes significativas. A maioria dos pacientes considerou sua experiência anestésica como excelente (51%) ou muito boa (22%). CONCLUSÃO: Este estudo mostrou uma incidência relativamente alta de complicações menores pós-operatórias (83%), mas baixa gravidade dos sintomas relatados e um alto grau de satisfação geral. Deve ser dada atenção especial à redução dessas complicações menores por meio de técnicas anestésicas mais meticulosas.

Keywords : AVALIAÇÃO [Atendimento anestésico]; COMPLICAÇÕES [Pós-operatória]; RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese | Spanish     · English ( pdf epdf ) | Spanish ( pdf epdf ) | Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License