SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 número4Daily rings in scales during the initial phases of the development of the curimba, Prochilodus lineatus (Valenciennes, 1836) (Characiforms, Prochilodontidae)Mortality of the parasitoids Spilochalcis morleyi and Xanthozona melanopyga in male and female pupa of Brassolis sophorae índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Brasileira de Biologia

versión impresa ISSN 0034-7108

Resumen

PAIVA, M. P.  y  ANDRADE-TUBINO, M. F.. Distribuição e abundância de peixes bentônicos explotados pelos linheiros ao largo do sudeste do Brasil (1986-1995). Rev. Bras. Biol. [online]. 1998, vol.58, n.4, pp. 619-632. ISSN 0034-7108.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71081998000400009.

Este trabalho trata da distribuição e abundância das principais espécies de peixes bentônicos explotados pelos linheiros ao largo do sudeste do Brasil (latitudes 18o-26oS) , no período 1986-1995, listadas a seguir, com as respectivas participações no total das capturas: batata = Lopholatilus vilariii Ribeiro = 33,4%, namorado = Pseudopercis numida Ribeiro = 18,4%, cherne = Epinephelus niveatus (Valenciennes) = 12,1%, garoupa = Epinephelus marginatus (Lowe) = 4,1% e badejo = Mycteroperca bonaci (Poey) = 3,1%. As pescarias ocorreram em águas tropicais (latitudes 18o- 23oS) e subtropicais (latitudes 23o-26oS), tendo como divisor zoogeográfico a ressurgência de Cabo Frio. Os dados foram agrupados por faixas de latitude e de profundidade, segundo espécies e estações do ano. As pescarias estiveram grandemente concentradas nas águas subtropicais, com tendência(s) de produtividade decrescente, à medida que aumenta(m) a latitude e/ou a profundidade dos pesqueiros explotados. Nas águas tropicais, as espécies dominantes foram a garoupa e o badejo, de forma indiscutível entre as latitudes 18o-20oS , com maiores capturas em profundidades de até 80 metros. Nas águas subtropicais, as espécies dominantes sempre foram o batata, o namorado e o cherne, com maiores capturas em profundidades superiores a 100 metros, incluindo a parte superior do talude continental. A produção das cinco espécies principais apresentou tendências de variação estacional, mas apenas o cherne evidenciou deslocamento sazonal ao longo da costa. Foram comprovadas a menor diversidade e a maior biomassa de peixes bentônicos nas águas subtropicais.

Palabras llave : peixes bentônicos; distribuição e abundância; pescarias de linheiros; sudeste do Brasil.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués