SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 issue2Um estudo sobre retorno em escolaridade no Brasil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Economia

Print version ISSN 0034-7140On-line version ISSN 1806-9134

Abstract

STADUTO, Jefferson Andronio Ramundo; BACCHI, Mirian Rumenos Piedade  and  BACHA, Carlos José Caetano. Avaliação do diferencial de salários na agropecuária brasileira: período de 1966 a 2002. Rev. Bras. Econ. [online]. 2004, vol.58, n.2, pp.267-295. ISSN 1806-9134.  https://doi.org/10.1590/S0034-71402004000200007.

Este artigo avalia as tendências, ao longo do tempo, do diferencial de salários entre os trabalhadores da agropecuária brasileira. Para tanto, esses trabalhadores são divididos em permanentes e temporários. Dados semestrais de salários para o período de 1966 a 2002 e procedimentos econométricos de co-integração, mais especificamente a metodologia de Johansen, são utilizados. Os resultados indicam que não há co-integração dos salários dos trabalhadores permanentes entre as regiões do Brasil, mas constata-se alto grau de co-integração dos salários médios dos trabalhadores permanentes entre os estados de cada região. Neste segmento do mercado trabalho agrícola, as diferenças salariais entre as regiões são dispersas ao longo do tempo e somente nos anos 90 esta dispersão e as flutuações são reduzidas sensivelmente. Os resultados da análise sobre o comportamento dos salários dos trabalhadores temporários evidenciam a região Nordeste como a grande arbitradora de salário em relação às demais regiões, o que se explica pela grande mobilidade de mão-de-obra sazonal do Nordeste com destino às demais regiões. Os salários dos trabalhadores temporários das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste também apresentaram relações de co-integração, provavelmente devido ao efeito de arbitragem proveniente da região Nordeste. Entretanto, as diferenças salariais dos trabalhadores temporários entre as regiões flutuaram bastante até meados da década de 1980, e a maior amplitude de diferença salarial é da região Nordeste em relação às demais, superando em muito as diferenças observadas para os trabalhadores permanentes.

Keywords : diferença de salários; salários agrícolas; mercado de trabalho; migração; co-integração.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License