SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.70 número5Manifestações retinianas em pacientes portadores de anemia de células falciformes índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Oftalmologia

versão impressa ISSN 0034-7280

Resumo

CRONEMBERGER, Sebastião; CALIXTO, Nassim  e  FREITAS, Henrique Leite. Nevo de Ota: achados clínicos e oftalmológicos. Rev. bras.oftalmol. [online]. 2011, vol.70, n.5, pp.278-283. ISSN 0034-7280.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72802011000500002.

OBJETIVO: Analisar os achados clínico-oftalmológicos de portadores de nevo de Ota. MÉTODOS: Análise retrospectiva dos prontuários de pacientes com nevo de Ota. Foram registrados dados demográficos, localização do nevo e época do seu aparecimento, história familiar de manchas similares, olho acometido, achados ectoscópicos (classificação de Tanino), biomicroscópicos, fundoscópicos e campimétricos. RESULTADOS: Foram incluídos 14 pacientes, seis (47,0%) homens e oito (53,0%) mulheres com média de idade de 21,7±17,5 anos. Dez (71%) pacientes eram feodérmicos, três (21,4%) leucodérmicos e um (7,1%) melanodérmico. Doze (85,7%) pacientes apresentaram manchas ao nascimento e dois relataram seu surgimento após o nascimento. Três pacientes relataram manchas compatíveis com nevo de Ota em consanguíneos. A melanose conjuntivo-episcleral foi reconhecida no olho direito em cinco pacientes e em nove no olho esquerdo. Pela classificação de Tanino, cinco (35,7%) dos nevos eram da classe 1, oito (57,1%) da classe 2 e um (7,1%) da classe 3. Presença de heterocromia da íris em oito (57,2%) pacientes. Anisocoria ocorreu em três pacientes. Disco óptico suspeito de glaucoma (relação escavação/disco ≥ 0,7) foi observado em cinco pacientes (35.7%); seis apresentaram escavação fisiológica e três não apresentavam escavação. Dois achados curiosos e raros: um nevo de Ota no palato de um paciente e outro no disco óptico de outro paciente associado com pigmentação difusa no polo posterior retiniano. Essa pigmentação foi também vista em mais quatro olhos. CONCLUSÃO: O nevo de Ota foi mais comumente presente ao nascimento, em feodérmicos e nas classes 1 e 2 de Tanino. Heterocromia iriana achado comum. Anisocoria foi diagnosticada num percentual pequeno de pacientes. Nenhum paciente desenvolveu glaucoma nem tumor maligno.

Palavras-chave : Nevo de Ota; Glaucoma; Melanose; congênito; Melanócitos; patologia; Nevo pigmentado.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons