SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.71 issue1Repeatability of central corneal thickness measurement with the Pentacam HR systemSelf-reported visual conditions and falls in institutionalized elderly author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Oftalmologia

Print version ISSN 0034-7280

Abstract

CARREGAL, Taisa Bertocco; NATSUAKI, Kryscia Leiko; PEREIRA, Gener Tadeu  and  SCHELLINI, Silvana Artioli. Ptose palpebral: avaliação do posicionamento palpebral por imagens digitais. Rev. bras.oftalmol. [online]. 2012, vol.71, n.1, pp. 18-22. ISSN 0034-7280.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72802012000100004.

OBJETIVO: Avaliar a posição palpebral de portadores de ptose congênita e adquirida, procurando identificar diferenças entre elas. MÉTODOS: Foi realizada avaliação retrospectiva de portadores de ptose palpebral atendidos no Ambulatório de Plástica Ocular da Faculdade de Medicina de Botucatu-UNESP, no período de 1995 a 2006, com dados recuperados de fichas de atendimento e de arquivo de imagens digitais. Foram avaliados dados de 87 pacientes, como idade, sexo e dados relativos à ptose. As ptoses foram separadas em dois grandes grupos: congênita e adquirida. Foram realizadas medidas digitais da distância margem-reflexo (DMR), distância margem-sulco palpebral superior (DMSC) e distância margem supercílio (DMSP). A unidade de medida considerada foi o diâmetro corneano de cada um dos indivíduos. Todos os dados foram transferidos para tabela Excel e receberam análise estatística. RESULTADOS: A análise mostrou que não existe associação entre a presença de ptose e sexo, assim como tipo de ptose e sexo. Houve diferença significativa entre pálpebras com ptose e sem ptose para DMR. A DMR não apresentou diferença significativa nas ptoses congênita ou adquirida. No que tange a DMSP e DMSC, a ptose adquirida possui valores superiores aos obtidos para portadores de ptose congênita. CONCLUSÃO: A avaliação do posicionamento palpebral confirmou que a DMR é menor nos portadores de ptose palpebral e que as ptoses congênitas e adquiridas possuem DMR semelhantes. A DMSC e a DMSP apresentam valores superiores em portadores de ptose adquirida.

Keywords : Blefaroptose; Blefaroptose [congênita]; Pálpebras [anatomia & histologia]; Pálpebras [fisiologia].

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese