SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 issue2Endophthalmitis after cataract surgery: results from seven years of epidemiological surveillanceStudy on immediate postoperative pain following cataract surgery: intraoperative endovenous administration of dipyrone author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Oftalmologia

Print version ISSN 0034-7280On-line version ISSN 1982-8551

Abstract

BARBOSA, Annamaria Ciminelli et al. Manifestações oftalmológicas dos pacientes idosos com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana. Rev. bras.oftalmol. [online]. 2019, vol.78, n.2, pp.91-97.  Epub May 13, 2019. ISSN 0034-7280.  http://dx.doi.org/10.5935/0034-7280.20180103.

Objetivos:

Identificar e descrever as alterações oculares em idosos com HIV ou aids através de exame oftalmológico. Avaliar a associação entre as alterações oculares encontradas e o nível de linfócitos T CD4, tempo da terapia antirretroviral, características demográficas e faixa etária.

Métodos:

Série de 40 casos de pacientes idosos com HIV examinados nos serviços de oftalmologia e imunologia do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG) de janeiro de 2017 a junho de 2018. Foi realizado o seguinte exame oftalmológico: anamnese, acuidade visual, motilidade ocular, reflexo pupilar, biomicroscopia, tonometria de aplanação e fundoscopia. As análises estatísticas foram realizadas pelo SPSS 20.0.

Resultados:

A média de idade dos 40 pacientes foi 64,7 anos (dp: 5,1) e o diagnóstico de infeção pelo HIV foi em média há 16.6 anos (dp:7). A maioria dos pacientes examinados possui visão normal (n=22; 55%) e pressão intraocular normal (entre 11 e 21 mmHg). As principais queixas dos pacientes durante a anamnese foram: embaçamento visual (50%), redução da acuidade visual (47.5%), prurido ocular (27.5%), lacrimejamento (25%) e ardência (25%). As alterações biomicroscópicas mais frequentes foram catarata (92.5%), seguida de olho seco (32.5%). Na fundoscopia encontrou-se 43,8 % de alterações da vascularização retiniana, 43.8 % de alterações relacionadas ao nervo óptico e 31,3% relacionadas ao pólo posterior da retina.

Conclusão:

Alterações oculares foram comuns e podem ser justificadas pela: senilidade, estado inflamatório gerado pela infecção crônica do HIV, efeitos adversos da Terapia antirretroviral prolongada e senescência biológica precoce associada a infecção do HIV.

Keywords : Idoso; HIV; Aids; Anormalidades oculares; Manifestações oculares; Terapia antirretroviral.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )