SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.71 issue5Infantile recurrent parotitis: follow up study of five cases and literature reviewAnalysis of fundamental frequency, jitter, shimmer and vocal intensity in children with phonological disorders author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Otorrinolaringologia

Print version ISSN 0034-7299

Abstract

TUMA, Juliane; CAMPONES DO BRASIL, Osíris Oliveira; PONTES, Paulo Augusto de Lima  and  YASAKI, Reinaldo Kasuo. Configuração das pregas vestibulares em laringes de pacientes com nódulo vocal. Rev. Bras. Otorrinolaringol. [online]. 2005, vol.71, n.5, pp. 576-581. ISSN 0034-7299.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992005000500006.

O nódulo vocal está entre as laringopatias mais comuns que resultam em alterações na função vocal. O mecanismo da produção da fala é complexo e exige interação de diversos sistemas do organismo humano. A importância das pregas vocais na fisiologia e na formação da fonte sonora glótica é evidente; contudo, quanto à participação das pregas vestibulares neste processo, ainda não existe consenso entre os estudiosos da área. OBJETIVO: Verificar se existe diferença na conformação das pregas vestibulares entre dois grupos de indivíduos do sexo feminino, sendo um composto por pacientes com diagnóstico de nódulo vocal e outro por pacientes sem alteração da voz e sem lesão em pregas vocais. FORMA DE ESTUDO: clínico com coorte transversal MATERIAL E MÉTODO: Foram analisadas 96 imagens de laringes, de indivíduos do sexo feminino, sendo 48 sem queixa vocal e 48 com diagnóstico de nódulo vocal. Foram medidos os ângulos formados nas pregas vestibulares durante a fonação, dos lados direito e esquerdo, bem como feita classificação das mesmas quanto à forma (côncava, linear ou convexa). RESULTADOS: Das 96 pregas vestibulares analisadas em cada grupo, a forma côncava foi predominante, seguida da linear e da convexa. No grupo controle, apenas uma das pregas estudadas tinha a conformação convexa, 27 conformação linear e 68 eram côncavas, enquanto no grupo nódulo vocal os resultados foram 8 convexas, 15 lineares e 73 côncavas. Estas diferenças não apresentaram significância, bem como as diferenças nos ângulos, cujas médias foram bastante semelhantes. CONCLUSÃO: As pregas vestibulares no sexo feminino se comportam da mesma maneira tanto nas pacientes com nódulo vocal quanto nas mulheres sem queixa vocal.

Keywords : nódulo vocal; pregas vestibulares; laringe; voz.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese