SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 número6Utilização de bioestimulante para incremento da produção e do teor de flavonoides em calêndula (Calendula officinalis L.)Adsorção de Cu e Zn num Latossolo Vermelho tratado com dejetos suínos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Ceres

versão impressa ISSN 0034-737X

Resumo

NAVA, Gilmar Antônio et al. Enraizamento de estacas lenhosas de figueira (Ficus carica L.) cv. Roxo de Valinhos com diferentes estratégias de propagação. Rev. Ceres [online]. 2014, vol.61, n.6, pp.989-996. ISSN 0034-737X.  https://doi.org/10.1590/0034-737X201461060015.

O objetivo deste trabalho foi avaliar o substrato, a época de coleta das estacas, a posição e a profundidade da estaca e o ambiente de propagação para o enraizamento de estacas de figueira 'Roxo de Valinhos', no sudoeste do Paraná. Foram realizados dois experimentos, na UTFPR, Câmpus Dois Vizinhos, com estacas lenhosas de figueira cv. Roxo de Valinhos. O primeiro utilizou delineamento experimental em blocos ao acaso, em fatorial 3 x 3 x 2 (substrato x ambiente x época de coleta), com quatro repetições de 10 estacas por parcela. As estacas foram coletadas nas primeiras quinzenas de julho e agosto. Os substratos foram areia, solo e a mistura destes [1:1 (v/v)]. Os ambientes utilizados foram céu aberto, túnel baixo, com cobertura plástica, e túnel baixo, com tela de sombreamento de 50%. O experimento 2 foi em blocos ao acaso, fatorial 2 x 2 x 3 (posição da estaca x cobertura do solo x profundidade da estaca), com 4 repetições de 12 estacas por parcela. No fator posição avaliaram-se estacas na vertical (0º de inclinação) e inclinadas (45º de inclinação). No fator cobertura do solo, testou-se o uso, ou não, de cobertura plástica (mulching). As profundidades de enterrio das estacas foram de 1/3, 1/2 e 2/3 do seu comprimento total. Foram analisados, em ambos os experimentos, os índices de enraizamento e de mortalidade, o número de folhas e de brotos primários e o comprimento das três maiores raízes por estaca. Conclui-se que se deve usar ambiente protegido com filme plástico, sobre o leito de areia, no enraizamento das estacas de figueira, coletando-as na primeira quinzena de julho. A posição de inclinação e a profundidade da estaca, bem como a cobertura do substrato com mulching plástico não influenciaram os resultados.

Palavras-chave : figo; propagação vegetativa; condições ambientais; substrato.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons