SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.64 número6Estimativa do desempenho agronômico da soja em cenários climáticos para o sul do BrasilPotencial de híbridos e populações segregantes de abóbora para teor de óleo nas sementes e plantas com crescimento do tipo moita índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Ceres

versão impressa ISSN 0034-737Xversão On-line ISSN 2177-3491

Resumo

MARTINS, Marlon Vagner Valentim et al. Influência das épocas de floração e dos períodos de proteção fenológica à infecção do oídio no clone de cajueiro-anão BRS 189. Rev. Ceres [online]. 2017, vol.64, n.6, pp.574-581. ISSN 0034-737X.  https://doi.org/10.1590/0034-737x201764060003.

A ocorrência do oídio (Pseudoidium anacardii) está correlacionada com a brotação nova do cajueiro e à infecção que se processa em botões, flores e maturis jovens. Tecidos maduros tornam-se naturalmente resistentes ao fungo e, para o controle da doença, é necessária a proteção preventiva com fungicida à base de enxofre. Objetivou-se, com este trabalho, avaliar as épocas de floração e os períodos de proteção fenológica do cajueiro-anão BRS 189 à infecção de P. anacardii. O experimento foi realizado em blocos casualizados, com quatro repetições e em esquema de parcelas subdivididas, em que as parcelas foram duas épocas de floração e, as subparcelas, os seis períodos de proteção fenológica. Foram avaliados os graus de severidade do oídio na panícula, no pedúnculo e na castanha e a produção de cajus, durante as duas épocas do fluxo de florações. Verificou-se que as épocas e os períodos de proteção fenológica influenciaram no grau de severidade da doença e na produção de cajus. Para as variáveis de doença, observaram-se menores graus de severidade do oídio para os maiores períodos de proteção fenológica na panícula, no pedúnculo e na castanha. Não houve diferença significativa entre as épocas, quando se avaliaram os períodos de proteção fenológica, em relação ao peso total e pedúnculo, ao passo que, em ambas as épocas, o período de proteção (T6) foi diferente dos demais. Porém, não houve diferença entre épocas e período de proteção fenológica em relação ao peso das castanhas. Os resultados indicam que as épocas do fluxo de florações e os períodos de proteção fenológica interferem na severidade da doença e na produção de cajus do clone BRS 189.

Palavras-chave : Anacardium occidentale; doença; Pseudoidium anacardii; fenologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )