SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue2Frequency of occurrence in the human environment dispersal of Culicidae mosquitoes in an area adjacent to a primitive Atlantic plain forestA serological inquiry for the detection of antibodies against the Human Immunodeficiency Virus (HIV) in children in a general ward author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

ALVAREZ, Maria de la Luz; WURGAFT, Fanny; ARAYA, Magdalena  and  ESPINOZA, Julio. Febre tifóide em escolares de estratos sócio-econômicos baixo e alto. Rev. Saúde Pública [online]. 1990, vol.24, n.2, pp. 108-112. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101990000200005.

Objetiva-se estudar e avaliar os hábitos de higiene de crianças que já freqüentavam escola por um ou dois anos e que recentemente tiveram febre tifóide. Levantou-se a hipótese de que as crianças, independentemente do nível socio-ecômico, teriam adquirido febre tifóide devido as seus inadequados hábitos de higiene, os quais facilitariam o ciclo fecal-oral. A amostra foi formada por 40 diadas (mãe-filho): 20 de baixo nível sócio-econômico (grupo A) e 20 de alto nível sócio-econômico (grupo B) que haviam tido febre tifóide. Os resultados indicaram que os hábitos de higiene das crianças em relação ao ciclo fecal-oral, as observações sobre a limpeza do toalete e as explicações das mães a respeito dos hábitos higiênicos de seus filhos, são muito semelhantes em ambos os grupos. Os resultados sugerem ser irrelevante o nível sócio-econômico, no caso da febre tifóide, mas que os hábitos de higiene são importantes. Sugere-se que as políticas de saúde pública sejam modificadas, incluindo o ensino de hábitos de higiene adequados, principalmente aqueles que se referem ao ciclo fecal-oral.

Keywords : Febre tifóide [transmissão]; Hábitos; Higiene; Fatores sócio-econômicos.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English