SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Obesidade e ganho de peso gestacional: cesariana e complicações de partoAids e gravidez: os sentidos do risco e o desafio do cuidado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910

Resumo

LEAL, Maria do Carmo; GAMA, Silvana Granado Nogueira da  e  CUNHA, Cynthia Braga da. Desigualdades sociodemográficas e suas conseqüências sobre o peso do recém-nascido. Rev. Saúde Pública [online]. 2006, vol.40, n.3, pp. 466-473. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000300015.

OBJETIVO: Analisar as desigualdades sociodemográficas, na assistência pré-natal e ao parto e suas conseqüências sobre o peso ao nascer. MÉTODOS: Estudo realizado em amostra de 10.072 puérperas atendidas em maternidades públicas, conveniadas com o Sistema Único de Saúde, e particulares do Município do Rio de Janeiro, no período de 1999-2001. Para verificar a associação entre peso ao nascer e características maternas, sociodemográficas, biológicas e da assistência pré-natal (índice de Kotelchuck modificado), realizaram-se regressões lineares múltiplas, estratificando as puérperas segundo nível de instrução. Foi utilizada a técnica de bootstrap com intervalos de confiança acurados para as estimativas dos efeitos. RESULTADOS: Na análise bivariada, para quase todas as variáveis estudadas, as médias de peso ao nascer foram menores entre as mães de escolaridade mais baixa. Na análise da regressão múltipla para o grupo de baixa escolaridade, o peso ao nascer associou-se diretamente com o índice de Kotelchuck modificado e a idade gestacional, e inversamente com as variáveis cor da pele preta, hábito de fumar e a experiência de filhos prematuros anteriores. Idade materna e paridade tiveram comportamentos distintos nos extremos e na faixa central dos dados. No grupo de maior escolaridade somente a paridade, a idade gestacional e o índice de Kotelchuck modificado foram significativos e se associaram diretamente com o peso ao nascer. Verificou-se o papel protetor da assistência pré-natal, assim como o efeito negativo do hábito de fumar independente do nível de escolaridade das mães. CONCLUSÕES: As variáveis que explicaram o peso ao nascer dos neonatos de mães com elevada escolaridade foram de natureza biológica, em contraste com os determinantes sociais encontrados no grupo de baixa escolaridade.

Palavras-chave : Peso ao nascer; Iniqüidade social; Iniqüidade na saúde; Eqüidade no acesso; Saúde materno-infantil; Cuidado pré-natal.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês