SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.41 issue4Retreatment in leprosy: a case-control studySand flies in the Aguapeí river floodplain, northwest area of State of São Paulo, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

CAVALCANTI, Luciano Pamplona de Góes et al. Competência de peixes como predadores de larvas de Aedes aegypti, em condições de laboratório. Rev. Saúde Pública [online]. 2007, vol.41, n.4, pp. 638-644.  Epub June 05, 2007. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006005000041.

OBJETIVO: Avaliar a competência de peixes na predação de larvas de Aedes aegypti, em condições de laboratório. MÉTODOS: Foram testados machos e fêmeas de cinco espécies de peixe. Os testes de predação duravam cinco semanas para cada espécie. Cada ensaio compreendia quatro caixas testes e quatro caixas controles. Das caixas controle, duas tinham somente um peixe e as outras duas, apenas larvas. Cada caixa teste continha um peixe e larvas. Na primeira semana foram expostas 100 larvas em cada caixa, e a cada semana acrescentavam-se 100 larvas por caixa/dia, até se obter um máximo de 500 larvas/dia. Comprimento e peso dos peixes foram medidos semanalmente. RESULTADOS: Foram utilizadas 369.000 larvas no total. O Trichogaster trichopteros foi a única espécie em que ambos os sexos predaram 100% das larvas oferecidas. O Betta splendens deixou de predar apenas 15 larvas. Machos do Poecilia reticulata apresentaram baixa capacidade larvófaga quando comparados às fêmeas da mesma espécie. Em relação ao peso e tamanho o Betta splendens mostrou-se capaz de predar 523 larvas/grama/dia. CONCLUSÕES: Fêmeas e machos de Trichogaster trichopteros e de Astyanax fasciatus, e fêmeas de Betta splendens e de Poecillia sphenops foram os peixes que apresentaram maior competência para predar as larvas. Embora com competência menor, machos de Poecillia sphenops e fêmeas de Poecilia reticulata foram capazes de eliminar o número de larvas de Aedes aegypti que possam emergir durante 24 horas num criadouro, em condições naturais. Machos de Poecilia reticulata não foram predadores eficazes.

Keywords : Aedes aegypti; Larva; Peixes; Controle de mosquitos; Controle biológico de vetores; Experiências laboratoriais; Betta splendens; Trichogaster sp.; Poecilia sp.; Astyanax sp.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese