SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número1Resultados maternos e neonatais em centro de parto normal peri-hospitalar e hospitalUso de serviços de saúde segundo posição socioeconômica em trabalhadores de uma universidade pública índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910

Resumo

CAMARGO, Maria Beatriz Junqueira et al. Preditores da realização de consultas odontológicas de rotina e por problema em pré-escolares. Rev. Saúde Pública [online]. 2012, vol.46, n.1, pp. 87-97.  Epub 06-Jan-2012. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000004.

OBJETIVO: Estimar a prevalência do uso de serviços odontológicos por pré-escolares e fatores associados. MÉTODOS: Estudo transversal com 1.129 crianças de cinco anos de idade da Coorte de Nascimentos de Pelotas 2004, RS, de setembro de 2009 a janeiro de 2010. Registrou-se o uso de serviço odontológico pelo menos uma vez na vida e o motivo para a primeira consulta odontológica da criança. As categorias do desfecho foram: ter feito a primeira consulta por rotina, para resolver um problema ou nunca ter ido ao dentista. Os exames bucais e as entrevistas foram realizados nos domicílios. Aspectos socioeconômicos e variáveis independentes ligadas à mãe e à criança foram analisados por meio de regressão logística multinomial. RESULTADOS: A prevalência de uso por qualquer motivo foi 37,0%. Os principais preditores para consulta de rotina foram nível econômico mais elevado, mãe com maior escolaridade e ter recebido orientação sobre prevenção. Principais preditores para consulta por problema foram ter sentido dor nos últimos seis meses, mãe com maior escolaridade e ter recebido orientação sobre prevenção. Cerca de 45,0% das mães receberam orientação de como prevenir cárie, principalmente fornecida por dentistas. Filhos de mães com história de maior aderência a programas de saúde tiveram maior probabilidade de ter feito uma consulta odontológica de rotina. CONCLUSÕES: A taxa de utilização dos serviços odontológicos por pré-escolares foi inferior às de consultas médicas (puericultura). Além da renda e da escolaridade, comportamentos maternos têm papel importante no uso por rotina. Relato de dor nos últimos seis meses e número elevado de dentes afetados por cárie, independentemente dos demais fatores, estiveram associados ao uso para resolver problema. É necessária a integração de ações de saúde bucal nos programas materno-infantis.

Palavras-chave : Pré-Escolar; Consultórios Odontológicos, utilização; Fatores Socioeconômicos; Serviços de Saúde Bucal; Educação em Saúde Bucal; Assistência Integral à Saúde.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês