SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 issue5Medication use by the ?quilombola? population: a survey in Southwestern Bahia, BrazilCognitive performance and frailty in older adults clients of a private health care plan author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

DELLAROZA, Mara Solange Gomes; PIMENTA, Cibele Andrucioli de Mattos; LEBRAO, Maria Lúcia  and  DUARTE, Yeda Aparecida. Associação de dor crônica com uso de serviços de saúde em idosos residentes em São Paulo. Rev. Saúde Pública [online]. 2013, vol.47, n.5, pp.914-922. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004427.

OBJETIVO

Analisar a associação entre a utilização de serviço de saúde por idosos com dor crônica e variáveis sociodemográficas e de saúde.

MÉTODOS

Estudo transversal com amostra populacional realizado por meio de inquérito domiciliar em São Paulo, SP, em 2006, com 1.271 idosos de 60 anos ou mais, sem déficit cognitivo, que relataram dor crônica. Dor crônica foi definida como aquela com duração ≥ 6 meses. O critério para uso do serviço de saúde foi ter feito mais de quatro consultas ou uma internação no último ano. Para os idosos com dor há pelo menos um ano, testou-se a existência de associação entre uso do serviço de saúde com as variáveis independentes (características da dor, sociodemográficas e doenças autorreferidas), por meio de análises univariadas (teste de Rao & Scott) e múltiplas (Regressão Múltipla de Cox com variância robusta). Utilizou-se o programa Stata 11.0 e adotou-se como valor de significância p < 0,05.

RESULTADOS

A prevalência de utilização do serviço de saúde nos idosos com dor foi 48,0% (IC95% 35,1;52,8) e não diferiu dos idosos sem dor (50,5%; IC95% 45,1;55,9). A chance de utilização do serviço de saúde foi 33,0% menor nos idosos com dor há mais de dois anos do que naqueles com dor entre um e dois anos (p = 0,002); 55,0% maior nos idosos com dor intensa (p = 0,003) e 45,0% maior entre os que relataram interferência moderada da dor no trabalho (p = 0,015) na análise múltipla.

CONCLUSÕES

A dor crônica foi frequente e esteve associada a maiores prejuízos na independência e mobilidade. A dor crônica mais intensa, a mais recente e a com impacto no trabalho resultaram em maior uso dos serviços de saúde.

Keywords : Idoso; Dor Crônica, epidemiologia; Serviços de Saúde, utilização; Estudos Transversais; Estudo SABE.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )