SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número1Efetividade da entrevista motivacional na melhoria da saúde bucal: revisão sistemáticaEducação permanente em saúde: metassíntese índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910

Resumo

SEBASTIAN-PONCE, Miren Itxaso; SANZ-VALERO, Javier  e  WANDEN-BERGHE, Carmina. Os usuários frente aos alimentos geneticamente modificados e a informação na etiqueta. Rev. Saúde Pública [online]. 2014, vol.48, n.1, pp.154-169. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004914.

OBJETIVO

: Analisar a opinião dos usuários sobre os alimentos geneticamente modificados e a informação apresentada na etiqueta.

MÉTODOS

: Foi realizada revisão sistemática da literatura científica sobre os alimentos transgênicos e a informação que eles apresentam na etiqueta a partir da consulta das bases de dados bibliográficos: Medline (via Pubmed), EMBASE, ISI-Web of Knowledge, Cochrane Library Plus, FSTA, LILACS, CINAHL e AGRICOLA. Os descritores selecionados foram: “organisms, genetically modified” e “food labeling”. A busca foi realizada desde a primeira data disponível até junho de 2012, selecionando os artigos pertinentes escritos em inglês, português e espanhol.

RESULTADOS

: Foram selecionados 40 artigos. Em todos eles, foi feita uma intervenção populacional focada no conhecimento dos consumidores sobre os alimentos geneticamente modificados e a sua necessidade, ou não, de incluir informação na etiqueta. O consumidor expressa a sua preferência pelo produto não- geneticamente modificado, e menciona estar disposto a pagar um pouco a mais por ele, porém, acaba comprando o artigo que esta mais em conta em um mercado que acolhe as novas tecnologias. Em 18 artigos a população mostrou-se favorável ao uso obrigatório da etiqueta e em seis deles, ao uso voluntario da mesma; sete trabalhos demonstraram o pouco conhecimento que a população tem sobre os transgênicos e, em três, a população subestimou a quantidade que consumia desses produtos. Contudo, foi observada a influencia do preço do produto geneticamente modificado.

CONCLUSÕES

: A etiqueta deve ser homogênea e esclarecer o grau de tolerância para os humanos dos alimentos geneticamente modificados em comparação com os não modificados. Também, deve especificar, ou não, a sua composição e a forma de produção de tais artigos de consumo. A etiqueta também deve ir acompanhada de um carimbo de certificação de uma agência do estado e dados para contato. O consumidor expressa a sua preferência pelo produto não- geneticamente modificado e menciona que no final compra o artigo que esta mais em conta em um mercado que acolhe as novas tecnologias.

Palavras-chave : Rotulagem de Alimentos; Alimentos Geneticamente Modificados; Conhecimentos, Atitudes e Práticas em Saúde; Segurança Alimentar e Nutricional; Promoção da Saúde.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol | Inglês     · Inglês ( pdf ) | Espanhol ( pdf )