SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número3Incapacidade em atividades instrumentais de vida diária em idosos: diferenças de gênero índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910

Resumo

NOGUEIRA, Eduardo Lopes et al. Rastreamento de sintomas depressivos em idosos na Estratégia Saúde da Família, Porto Alegre. Rev. Saúde Pública [online]. 2014, vol.48, n.3, pp.368-377. ISSN 0034-8910.  https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004660.

OBJETIVO

Analisar a prevalência de depressão em idosos e os fatores associados.

MÉTODOS

Delineamento transversal com amostra aleatória estratificada de 621 indivíduos ≥ 60 anos provenientes de 27 equipes de saúde da família de Porto Alegre, RS, Brasil, no período entre 2010 e 2012. A depressão foi mensurada por agentes comunitários de saúde utilizando a Escala de Depressão Geriátrica de 15 itens. Escores ≥ 6 foram considerados depressão e entre 11 e 15, depressão severa. A regressão de Poisson foi o método de análise robusta utilizado para busca de associações independentes de variáveis sociodemográficas e autopercepção de saúde com a depressão e sua severidade.

RESULTADOS

A prevalência de depressão foi de 30,6%, significativamente maior em mulheres (35,9% mulheres versus 20,9% homens; p < 0,001). As seguintes variáveis apresentaram associações independentes com depressão: sexo feminino (RP = 1,4; IC95% 1,1;1,8); baixa escolaridade, sobretudo analfabetismo (RP = 1.8; IC95% 1,2;2,6); e autopercepção de saúde regular (RP = 2,2; IC95% 1,6;3,0) e ruim/péssima (RP = 4,0; IC95% 2,9;5,5). Houve aumento da força de associação desses fatores na depressão severa, exceto para escolaridade.

CONCLUSÕES

Alta prevalência de depressão foi observada na avaliação realizada por agentes comunitários de saúde, profissionais sem alta especialização. Esse modelo de aplicação da Escala de Depressão Geriátrica de 15 itens identificou achados similares aos encontrados na literatura, em que a depressão associou-se à baixa escolaridade, ao sexo feminino e à pior autopercepção de saúde. Do ponto de vista estratégico no âmbito da atenção básica, os achados são ainda mais relevantes, pois apontam que agentes comunitários de saúde podem ter um papel importante na detecção da depressão em idosos.

Palavras-chave : Idoso; Depressão, epidemiologia; Estratégia Saúde da Família; Serviços de Saúde Mental, recursos humanos; Estudos Transversais.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )